04:39 27 Maio 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    612
    Nos siga no

    O presidente venezuelano Nicolás Maduro tentou usar o bom humor em meio a uma grave crise no país ao gravar a sua versão para o hit “Despacito”, às vésperas da Assembleia Constituinte marcada para o próximo dia 30, mas a medida gerou forte controvérsia.

    A versão remixada da música, gravada pelos porto-riquenhos Luis Fonsi e Daddy Yankee, encorajava a população da Venezuela a votar na Assembleia Constituinte, que pode mudar a Constituição do país e dar mais poderes ao Executivo nacional.

    “Nosso chamado para a Assembleia Constituinte só procura unir o país... Despacito!", diz o vídeo divulgado no programa televisivo semanal de Maduro. “O que você acha, eh? Este vídeo foi aprovado?", pergunta o presidente venezuelano, sob gritos e palmas de aprovação.

    Mas os responsáveis pela canção não gostaram nem um pouco do uso político do hit do momento.

    “Em nenhum momento eu fui questionado, nem eu autorizei, o uso ou a mudança de letras de ‘Despacito’ para ambições políticas e muito menos no meio de uma situação deplorável que a Venezuela, um país que eu amo tanto, vive”, escreveu Fonsi em sua página no Twitter.

    Daddy Yankee também fez duras críticas a Maduro pela iniciativa.

    “O fato de você apropriar-se ilegalmente de uma música (‘Despacito’) não se compara com os crimes que você comete e cometeu na Venezuela. Seu regime ditatorial é uma piada, não só para os meus irmãos venezuelanos, mas para o mundo inteiro. Com este plano de marketing nefasto, você apenas destaca seu ideal fascista”, escreveu em sua página no Instagram.

    ¿Qué se puede esperar? de una persona que le ha robado tantas vidas a jóvenes soñadores y a un pueblo que lo que busca es un mejor futuro para sus hijos. Que te apropies ilegalmente de una canción (Despacito), no se compara con el crimen que cometes y has cometido en Venezuela. Es una burla, no tan solo para mis hermanos venezolanos, sino para el mundo entero su régimen dictatorial. Con ese nefasto plan de mercadeo, usted solo continuará poniendo en evidencia su ideal fascista, que ha matado a cientos de héroes y más de 2000 heridos. Como co-autor del tema, también me uno a las expresiones de la co-autora de la canción "Despacito" @erikaender. #NoAprobado #BastaYa #venezuelalibre 🇻🇪

    Uma publicação compartilhada por Daddy Yankee (@daddyyankee) em Jul 24, 2017 às 12:11 PDT

    A canção ‘Despacito’ – que significa ‘lentamente’ – é tida como o maior hit musical latino desde “Macarena”, de 1996.

    A crise na Venezuela já dura mais de quatro meses, com protestos diários pelo país, cujo saldo de mortos já ultrapassa os 100, além de um número alto de feridos. Enquanto a oposição diz que a Constituinte é uma forma de Maduro se perpetuar no poder, o presidente afirma que ela é a única forma de pacificar a convulsionada nação sul-americana.

    Além dos vizinhos continentais – dentre eles o Brasil –, a comunidade internacional também pediu que Maduro desista da Constituinte, uma vez que há um forte temor de que a iniciativa possa desencadear uma verdadeira guerra civil no país.

    Mais:

    Venezuela acusa Colômbia e México de conspirar com CIA contra Maduro
    EUA recomendam aos seus cidadãos na Venezuela armazenar água e alimentos
    Maduro: Rússia, China e Índia são os principais aliados da Venezuela
    Mercosul se oferece para mediar diálogo entre Governo e oposição na Venezuela
    Tags:
    política, crise na venezuela, Assembleia Constituinte, ONU, Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Fonsi, Daddy Yankee, Nicolás Maduro, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar