15:43 24 Julho 2017
Ouvir Rádio
    Central nuclear de Bushehr, no Irã.

    Washington quer introduzir mais sanções contra Teerã por causa de seu programa balístico

    © AFP 2017/ BEHROUZ MEHRI
    Américas
    URL curta
    130202

    O Governo norte-americano anunciou novas sanções contra o Irã devido a seu programa de mísseis.

    "Vamos impor novas sanções para chamar o Irã à responsabilidade por seu comportamento em vários domínios, em particular por seus mísseis", disse um representante da Casa Branca a jornalistas.

    Ele afirmou que as restrições não têm relação com o Plano de Ação Integral Conjunto (PAIC) que Teerã assinou há dois anos com o grupo 5+1 (Rússia, EUA, China, França, Reino Unido e Alemanha). Após a assinatura desse documento Washington levantou várias restrições anteriores aplicadas a Teerã.

    O representante insistiu que as novas sanções não substituem as canceladas no âmbito do pacto nuclear. Também não precisou quando entrarão em vigor as novas medidas.

    A Casa Branca disse que o presidente Donald Trump e o secretário de Estado, Rex Tillerson, em seu relatório trimestral ao Congresso sobre a implementação do "acordo nuclear" com o Irã, vão sublinhar que o país "continua a ser a maior ameaça para os Estados Unidos, seus interesses e a estabilidade regional". Eles também tencionam denunciar "a atividade hostil do Irã, que se estende fora do quadro nuclear". Como mais tarde foi informado, o presidente Trump e sua administração confirmaram que o Irã cumpre o acordo assinado em 2015.

    Em particular, o representante da Casa Branca apontou o apoio de Teerã ao Governo do presidente sírio, Bashar Assad, a política hostil em relação a Israel, a ameaça à livre navegação no Oriente Médio, os ataques cibernéticos contra os Estados Unidos e seus aliados, entre outros.

    Mais:

    Espião sino-americano é condenado a dez anos de prisão no Irã
    Irã nega acusações dos EUA quanto a uso de arma de laser contra suas forças
    'Sonho dos EUA de derrotar o Irã não passa de delírios perturbados', diz general
    Tags:
    míssil balístico, programa nuclear iraniano, Donald Trump, Irã, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik