00:13 24 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Homem com um laptop

    EUA restringem uso de software da empresa russa Kaspersky Lab

    © AFP 2017/ Thomas Samson
    Américas
    URL curta
    695734

    A administração do presidente norte-americano, Donal Trump, excluiu a empresa russa Kaspersky Lab, que produz software de segurança, das duas listas de fornecedores de software cujos serviços podem ser usados pelas agências governamentais dos EUA.

    Esta informação foi revelada pela agência Reuters que cita uma declaração da Administração de Serviços Gerais dos EUA (GSA, na sigla em inglês). Uma representante da organização comunicou que isto foi feito "depois de uma consideração cuidadosa” e tem por objetivo garantir “a integridade e segurança dos sistemas do governo dos EUA".

    A Reuters sublinha que as agências governamentais norte-americanas no futuro continuarão usando os serviços da Kaspersky Lab cujos contratos não foram feitos através da GSA.

    A Kaspersky Lab, por sua vez, declarou que até agora não recebeu nenhuma notificação da GSA sobre a mudança do seu estatuto de fornecedor.

    Anteriormente, o canal ABC também comunicou que a administração de Trump tenciona proibir o uso de produtos da Kaspersky Lab por agências federais.

    Na terça-feira (11), a agência Bloomberg comunicou que a empresa russa Kaspersky Lab tem ligações muito estreitas com o governo russo e com os serviços de inteligência russos. A Kaspersky Lab desmente estas acusações.

    A decisão das autoridades norte-americanas em questão pode ser considerada como novas sanções contra empresas russas que estão trabalhando com sucesso no estrangeiro, disse o chefe do Comitê da Duma de Estado da Rússia para a Política de Informação, Leonid Levin.

    Segundo Levin, tais ações são realizadas por causa do reforço do papel das empresas russas da área da tecnologia no estrangeiro que criam produtos únicos na área de cibersegurança.

    Lembramos que a empresa russa Kaspersky Lab está desenvolvendo software especial de cibersegurança para instituições governamentais de muitos países, incluindo o Brasil. Recentemente, durante a visita de Michel Temer a Moscou, foi negociado o desenvolvimento de vários produtos de acordo com os interesses do Ministério da Defesa do Brasil.

    Mais:

    Hacker da Letônia é extraditado para os EUA
    Novo presidente do Equador chama Julian Assange de 'hacker' e fundador do WikiLeaks reage
    Embaixada da Rússia nos EUA classifica prisão de hacker russo como 'ilegal' e 'sequestro'
    Tags:
    software, hacker, cibersegurança, Kaspersky Lab, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik