12:33 02 Junho 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    303
    Nos siga no

    "A crise humanitária vivida pelos venezuelanos nos últimos meses repete o modelo político de décadas na América Latina." A afirmação é de Paulo Kramer, professor de Ciências Políticas da Universidade de Brasília (UnB) no mesmo dia em que a Organização dos Estados Americanos (OEA) debate o quadro de enfrentamentos no país caribenho.

    Para Kramer, a reunião dos chanceleres latino-americanos em Washington é mais uma tentativa para uma solução negociada para uma crise que hoje ele considera não ser mais política, mas humanitária. Na opinião do professor, a permanência do presidente Nicolás Maduro no poder é um desapego às regras democráticas. 

    "Eu morro de rir quando as pessoas falam nos talk shows de rádio e TV, artigos de jornal e revista, e dizem 'está uma porcaria, mas as instituições são sólidas'. As instituições nunca foram sólidas em 'nuestra américa', porque a tradição patrimonialista é muito forte. Os grupos, todos eles, se apropriam do poder como se fossem da sua casa e as instituições formais acabam sofrendo porque não têm cultura de raízes num solo de cultura política muito profunda. O que havia de institucionalidade lá foi destruída, não pelo Maduro, mas antes pelo Chávez", afirma Kramer.

    Para o professor da UnB, a União de Nações Sul-Americanas (Unasul) não tem o que contribuir no esforço de entidades internacionais em buscar uma solução negociada para a Venezuela, que já conta com a intermediação do próprio Vaticano.

    "Na minha opinião, a Unasul é mais uma invenção infeliz do bolivarianismo, é parte interessada. A Unasul não pode participar desse processo a não ser que a gente queira que esse processo se deteriore ainda mais", afirma Kramer, para quem a primeira providência hoje seria tirar Maduro da presidência. Na visão do professor da UnB, enquanto não houver um 'racha' do establishment militar, vai ser muito difícil uma solução, e a tendência é que a crise ainda vá se prolongar durante muito tempo.

    Mais:

    Moscou: situação na Venezuela pode 'se converter em uma catástrofe'
    Na OEA, crises de Brasil e Venezuela têm pesos diferentes
    Tags:
    bolivarianismo, militares, diplomacia, violência, manifestações, crise humanitária, UnB, Unasul, Organização dos Estados Americanos (OEA), Hugo Chávez, Nicolás Maduro, Paulo Kramer, América Latina
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar