19:54 17 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Presidenciável do Partido Democrata Hillary Clinton

    Processo contra Hillary sobre ataque a diplomatas na Líbia é arquivado

    © REUTERS / Carlos Barria
    Américas
    URL curta
    123

    Um juiz federal em Washington, DC, arquivou um processo contra a ex-secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton.

    O processo alegava que os protocolos de segurança de e-mail provocaram a morte de dois americanos em um ataque terrorista de setembro de 2012 contra uma instalação diplomático dos EUA em Benghazi, Líbia, de acordo com o The Hill.

    A juíza Jackson, nomeada pelo ex presidente dos Estados Unidos Barack Obama em 2010, rejeitou o processo por considerar que Clinton usou sua conta de e-mail adequadamente e não era responsável pelas mortes dos americanos.

    Na decisão de sexta-feira, a juíza também desconsiderou pedidos de difamação incluídos nos autos.

    "Os demandantes podem achar que as declarações do candidato em sua própria defesa são desagradáveis ​​ou ofensivas, mas a secretário Clinton não descreveu os demandantes como 'odiosos, infames ou ridículos" a juíza escreveu, acrescentando: "Pelo contrário, as declarações retratam os queixosos como pais normais, sofrendo com a trágica perda de seus entes queridos".

    Os litigantes, Patricia Smith e Charles Woods acusaram Clinton de ser responsável pelo ataque de Benghazi que matou seus filhos e outros dois cidadãos dos EUA, afirmando que os assassinatos foram "causados ​​diretamente pelo uso de um servidor de e-mail privado". Ambos os pais são partidários francos do presidente dos EUA, Donald Trump. Smith inclusive discursou na Convenção Nacional Republicana de julho de 2016 dizendo: "Eu culpo Hillary Clinton pessoalmente pela morte de meu filho".

    Mais:

    Assange chama Hillary Clinton de 'açougueira da Líbia'
    Assange revela papel de Hillary Clinton na destruição da Líbia
    Tags:
    Convenção Nacional Republicana, The Hill, Patricia Smith, Charles Woods, Donald Trump, Hillary Clinton, Barack Obama, Benghazi, Líbia, Washington
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar