15:01 06 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Rep. Al Green, D-Texas, listens intently to emotional testimony

    Congressista recebe ofensas racistas e ameaça de morte após sugerir impeachment de Trump

    © AP Photo / Alex Brandon
    Américas
    URL curta
    992
    Nos siga no

    As ameaças de morte e os xingamentos racistas têm inundado a caixa de e-mails do representante democrata do Texas, Al Green, depois que ele se tornou o primeiro membro do Congresso a pedir oficialmente o impeachment contra o presidente dos EUA Donald Trump por obstrução à justiça.

    "Eu me levanto hoje para pedir a impeachment do Presidente dos Estados Unidos da América por obstrução à justiça", disse em declaração oficial. "Eu não faço isso para propósitos políticos, Senhor Presidente. Eu faço isso porque acredito nos grandes ideais que este país representa — liberdade e justiça para todos, a noção de que devemos ter governo do povo, pelo povo, para o povo, porque acredito que ninguém está acima da lei e isso inclui o Presidente dos Estados Unidos da América", disse o legislador em discurso na Câmara.

    Após a sua petição para iniciar o processo de acusação de Trump, Green foi inundado com ameaças de morte e discurso de ódio, muitos por telefone, que ele gravou e reproduziu para os participantes em uma reunião da prefeitura em Houston no sábado.

    Embora Green tenha observado que a maioria dos telefonemas apoiava a decisão do legislador do Texas de acusar o presidente, muitos dos que ligaram estavam enfurecidos e incluíam ameaças de morte e insultos raciais reminiscentes dos dias sombrios da segregação nos EUA.

    Conforme relatado pelo Houston Chronicle, Green disse aos participantes da reunião, "As gravações reais serão reproduzidas e vocês podem decidir por si mesmos com o que estamos lidando", antes de reproduzir os telefonemas.

    "Você não vai acusar ninguém, seu [palavrão]. Experimente e vamos linchar tudo que você [palavrão] você estará pendurado em uma árvore", disse uma das pessoas que ligaram, em referência a uma das formas mais comuns de assassinato a negros no período de segregação: o enforcamento.

    "Nós temos um impeachment para você e ele vai ser seu", disse outro, que acrescentou: "Vamos dar-lhe um curto julgamento antes de pendurar o seu [palavrão]."

    Green não foi dissuadido, afirmando: "Isso não nos impede, não vamos ser intimidados, não vamos permitir que isso nos desvie daquilo que acreditamos ser a coisa certa a fazer e que é continuar" com o impeachment do presidente Trump".

    O pedido de destituição de Trump ocorre depois que informações foram reveladas na terça-feira que o presidente pediu ao então diretor do FBI James Comey, em fevereiro, para encerrar uma investigação sobre o ex-conselheiro de segurança nacional Michael Flynn, um pedido considerado por muitos legisladores como obstrução à justiça.

    Mais:

    Trump podia sofrer o impeachment já, diz historiador que previu a sua vitória nos EUA
    'É hora de falar em impeachment', diz escritor Stephen King sobre Trump
    Tags:
    Houston Chronicle, Câmara dos EUA, Democratas, FBI, Al Green, Michael Flynn, Donald Trump, James Comey, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar