19:46 17 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Venezuela

    Uruguai não apoia o uso da cláusula democrática contra a Venezuela, afirma Tabaré Vázquez

    Federico Parra/AFP
    Américas
    URL curta
    8158
    Nos siga no

    O Governo do Uruguai seguirá com sua posição de não aplicar a cláusula democrática da Organização dos Estados Americanos (OEA) para a Venezuela. O objetivo é evitar que a situação se radicalize, disse nesta quarta-feira o presidente Tabaré Vázquez em uma coletiva de imprensa com seu homólogo espanhol Mariano Rajoy.

    O presidente do Uruguai explicou que "o objetivo é que as coisas não se radicalizem, que haja um acordo político e eleições democráticas, como na maioria dos países". 

    O mandatário também manifestou seu pesar pela morte de manifestantes em atos de violência nas últimas semanas, mas advertiu que ''os problemas da Venezuela devem ser resolvidos pelos próprios venezuelanos''.

    Hoje, o Conselho Permanente da OEA se reunirá para analisar uma proposta de 16 países membros, entre eles o Uruguai, de convocar uma reunião de chanceleres do continente para discutir a crise na Venezuela. A ministra das Relações Exteriores da Venezuela, Delcy Rodríguez, advertiu ontem à noite que se a OEA de fato realizar a reunião de chanceleres, seu país deixará a organização

    Vázquez finalizou sua exposição ao dizer que ''é necessário estender uma mão de apoio ao povo venezuelano''.

    Rajoy, por sua vez, também abordou a situação do país governado por Nicolás Maduro.

    ''Precisamos evitar um conflito sangrento na Venezuela, devemos devolver a palavra ao povo venezuelano".

    O presidente espanhol afirma que considera a Venezuela um país ''irmão".''Quero para a Venezuela o mesmo que quero para a Espanha e os espanhóis'', sentenciou. 

    A Carta Democrática Interamericana foi adotada em 11 de setembro de 2001 como um instrumento da OEA para garantir a manutenção da democracia nos países que integram o bloco. Está prevista uma série de passos do organismo para contribuir com a solução da crise, mas uma quebra democrática definitiva pode resultar na suspensão do país do bloco como membro.

    Mais:

    Venezuela pode deixar a OEA se organização se reunir sem aprovação de Caracas
    Sob protestos de Caracas, OEA se reúne em Washington para discutir crise da Venezuela
    Chefe da OEA: Venezuela deve promover eleições gerais ou enfrentar suspensão do bloco
    OEA adota declaração de apoio a diálogo na Venezuela
    Tags:
    Carta Democrática Interamericana, Conselho Permanente da OEA, Ministério das Relações Exteriores da Venezuela, Organização dos Estados Americanos (OEA), Mariano Rajoy, Delcy Rodríguez, Tabaré Vázquez, Nicolas Maduro, Montevidéu, Uruguai, Venezuela, Espanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar