04:26 22 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    7211
    Nos siga no

    Legisladores democratas dos Estados Unidos introduziram um projeto de lei para exigir que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, publique registros com informações sobre quem ele encontrou e onde.

    O "Ato de Mar-A-Lago", como é chamada a lei em referência ao clube do presidente localizado na Flórida, quer tornar os registros de acesso disponíveis e exigiria que o presidente e sua administração publicassem quem ele conhece e onde.

    Apresentado na última sexta-feira (24) por quatro senadores democratas, o projeto visa disponibilizar publicamente registros de Visitantes da Casa Branca ou registros relacionados a "qualquer outro local onde o Presidente Trump regularmente conduz negócios oficiais ", de acordo com o The Hill. Uma versão do texto também foi entregue na Câmara pelo representante democrata Mike Quigley.

    Era costume da administração anterior divulgar registros de visitantes para a Casa Branca trimestralmente, e muitos observaram, em comparação, uma falta de transparência em torno das atividades de Trump e de seus conselheiros e membros do gabinete quanto ao dia-a-dia presidencial.

    Desde a posse, o presidente Trump gastou bem mais de metade de seus fins de semana na Flórida em seu resort Mar-A-Lago. O acesso ao presidente tem sido limitado e secreto e os legisladores democratas querem ver publicadas as idas e vindas rotineiras daqueles que procuram Trump ou seus conselheiros.

    "Muitos americanos estão corretamente preocupados se os ricos e bem conectados estão recebendo tratamento especial e influência indevida na Casa Branca de Trump", afirmou Tom Udall, um dos senadores que lideram a iniciativa, acrescentando: "O Presidente Trump montou um gabinete cheio de milionários e bilionários, ele está trabalhando em uma agenda de cortes de impostos maciços para os ricos e as taxas de iniciação em Mar-A-Lago — onde as pessoas estão recebendo acesso incomum ao presidente e seus principais conselheiros — acabaram de dobrar para US $ 200.000".

    Esta foto, mostra o resort de Mar-a-Lago, uma das propriedades do presidente eleito Donald Trump em Palm Beach, Flórida.
    © AP Photo / Lynne Sladky
    Esta foto, mostra o resort de Mar-a-Lago, uma das propriedades do presidente eleito Donald Trump em Palm Beach, Flórida.

    "Ao recusar-se a liberar os registros do visitante da Casa Branca, o presidente Trump está apenas validando as preocupações desenfreadas sobre quem pode estar puxando as alavancas em sua administração. O presidente deve acabar com o padrão perturbador de administração do governo, a administração Trump tem a obrigação de divulgar as listas de visitantes em lugares como Mar-A-Lago e nas Trump Towers", afirmou.

    O Congresso, atualmente no controle do Partido Republicano, não deve apoiar o projeto de lei, e muitos vêem o texto como um movimento simbólico.

    Afirmando que o projeto de lei é necessário e tem um propósito "simples", o senador Udall disse: "O povo americano tem o direito de saber quem tem acesso ao presidente e que tem alavancagem sobre esta administração".

    Mais:

    Buenos Aires diz 'não' à Trump Tower
    Torre Trump é evacuada por suspeita de bomba em Nova York
    Tags:
    Ato de Mar-A-Lago, Trump Tower, Mar-A-Lago, The Hill, Casa Branca, Tom Udall, Mike Quigley, Donald Trump, Flórida
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar