04:49 26 Junho 2019
Ouvir Rádio
    Foto de arquivo. 21 de março de 2013. Mais de 700 quilos de cocaína detidas em Santo Domingo (República Dominicana)

    Colômbia: 'O sucesso da luta contra a droga depende dos EUA reduzirem o consumo'

    © AFP 2019 / Erika SANTELICES
    Américas
    URL curta
    730

    O ministro da Defesa colombiano, Luis Carlos Villegas, advertiu ao governo dos EUA que o sucesso da luta contra o tráfico de drogas passa pela implementação de uma política para reduzir o uso de drogas no mercado dos EUA, de modo que a Colômbia possa se concentrar em combater no próprio território, o fornecimento dessas substância.

    "Enquanto houver mercado consumidor, haverá oferta em algum lugar do mundo e neste caso, a Colômbia é um dos países que mais sacrifícios já fez para limitar a demanda", disse Villegas antes da reunião em Bogotá com o secretário-assistente de Estado EUA para Drogas e Aplicação da Lei, William Brownfield.

    Villegas acrescentou que a Colômbia já "impediu que dezenas de milhares de toneladas de cocaína e centenas de quilos de heroína alcançassem os mercados de consumo nas últimas décadas".

    No entanto, o funcionário disse que há preocupação com o aumento de hectares de cultivos ilícitos entre 2014 e 2016, e  que justamente por essa preocupação se formulou um novo plano para combater estes cultivos por meio da substituição.

    "Esta substituição de culturas que foi feita de maneira massiva nos permitiu ter cerca de 48.000 hectares cobertos por planos de substituição, e nós temos o objetivo de erradicar 50.000 hectares dos que não desejam substituir", disse Villegas. O objetivo, disse ele, é que este ano será "entre 90.000 e 100.000 hectares a menos."

    Na semana passada, o Conselho Internacional de Controle de Estupefacientes (INCB), que faz parte das Nações Unidas, revelou em seu Relatório Anual de Drogas 2016, que o cultivo de coca na Colômbia aumentou 39% entre 2014 e 2016, passando de 69.000 hectares para 96.000 no mesmo período.

    Tal registro acendeu a luz vermelha sobre o novo governo de Donald Trump, cuja prioridade na América Latina é combater o tráfico de drogas.

    Antes da reunião com o delegado norte-americano, Villegas também revelou que, pela primeira vez, plantações de coca que não têm nenhum comprador foram detectadas, o que indica que o trabalho de interdição contra as redes de tráfico de drogas valeu a pena. Além disso, as FARC também deixaram áreas onde tinham influência e controle destes mercados ilícitos.

    "Esta é uma das melhores notícias, porque nos permite entrar com programas de substituição e da boa vontade daqueles que cultivam coca", disse o ministro da Defesa colombiano.

    Finalmente, Villegas observou que ao longo de 2016, autoridades colombianas apreenderam cerca de 380 toneladas de cocaína, e em 2017, até agora confiscaram mais de 50 toneladas.

    Mais:

    PF desarticula quadrilha que fazia tráfico internacional de pessoas
    Plano usa inteligência contra o tráfico e as facções
    Tags:
    Drogas, INCB, Conselho Internacional de Controle de Estupefacientes, FARC, Luis Carlos Villegas, William R. Brownfield, Donald Trump, Bogotá, Estados Unidos, Colômbia, América Latina
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar