13:35 24 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    8120
    Nos siga no

    Desde os finais de janeiro de 2017, o avião russo Il-76 vem participando do combate aos incêndios nas regiões do sul do Chile. A aeronave foi batizada de "El Luchín" devido à dificuldade de pronunciá-la corretamente, tornando-se o símbolo do apoio russo ao país latino-americano.

    17 pessoas viajaram a bordo do Il-76, entre os quais estavam as tripulações completas que se revezavam em dois turnos e seis funcionários do Ministério de Emergências russo.

    A Sputnik Mundo falou com o copiloto do Il-76, Vladislav Podobny, que está no Chile desde 30 de janeiro. Ele possui 30 anos de experiência em voos em aviões da classe Il-76, tendo participado de várias operações do Ministério de Emergências russo.

    Sputnik Mundo: Qual é a situação na região? Até quando pretende permanecer no Chile?

    Vladislav Podobny: Quando chegamos em 30 de janeiro, a situação era terrível: havia muitos incêndios na região de Santiago e, em uma área de quase 500 quilômetros a sul da capital, a fumaça era muito forte e dificultava o trabalho. Era difícil localizar os incêndios e tivemos que realizar saídas a partir do mar onde a visibilidade era melhor.

    Durante a primeira semana, nós, juntamente com SuperTanker norte-americano e outros aviões menores, cumprimos a tarefa de controlar os incêndios. Nas últimas semanas, ficamos no regime de espera: em caso de incêndio, deslocamo-nos e começamos a extinção das chamas.

    Felizmente, a situação está sob controle e não prevemos que mais incêndios aconteçam. Por isso, estamos planejando deixar o país no dia 25 de fevereiro às 20h00, horário local.

    Piloto russo do Il-76, Vladislav Podobny
    © Foto / Vladislav Podobny
    Piloto russo do Il-76, Vladislav Podobny

    S: O que é mais difícil na luta contra incêndios?

    VP: A experiência nos ensinou a voar cumprindo as normas de segurança nesta categoria de voos: não descer mais do que a altitude segura, não entrar em zonas com grandes quantidades de fumaça etc. Mas o mais terrível é quando o fogo cerca casas, pessoas, você não pode fazer nada. Esta é a coisa mais terrível.

    S: Como os habitantes da região o receberam?

    VP: A recepção foi muito agradável, muito amável. Quando estamos de folga, passeamos pela cidade, pelas lojas locais, pelos pontos de interesse e, por estarmos vestidos com roupas normais, as pessoas não prestam muita atenção na gente. Mas quando queremos comprar algo, e, com nosso pobre espanhol que sabemos, dizemos "não compreendo", as pessoas olham para nós, sorriem e nos dizem "el Luchín, el Luchín" e nos agradecem.

    Na semana passada, o Ministério das Relações Exteriores do Chile nos convidou às suas instalações; estávamos a dez minutos de distância e decidimos ir a pé e com uniformes pelas ruas. As pessoas nos aplaudiam, estavam muito agradecido.

    Tripulação do avião russo Il-76 após pouso em Santiago, Chile
    © Foto / Vladislav Podobny
    Tripulação do avião russo Il-76 após pouso em Santiago, Chile

    S: Quais foram as suas impressões do Chile?

    VP: O Chile é um país espetacular. Nos anos 70, quando ocorreu o golpe de Estado [contra Salvador Allende], consideramos o povo chileno como povo irmão. A primeira vez que estive aqui foi em 2010 quando transportamos equipe de resgate e ajuda humanitária depois de um terremoto na região.

    É um país impressionante, com um ótimo clima, boas pessoas, vinho… E gostaria de desejar ao povo chileno e ao seu governo paciência na luta contra incêndios – caso se repitam – prosperidade e um grande futuro.

    S: E, afinal, já viu algum meme sobre "El Luchín"? Ouviu falar sobre o detergente dedicado ao avião russo? Compraria ele?

    Vladislav Podobny, no cabine de pilotagem do avião russo Il-76
    © Foto / Vladislav Podobny
    Vladislav Podobny, no cabine de pilotagem do avião russo Il-76

    VP: Sim, vi alguns memes e, por acaso, soube que existe até um detergente. Gostaria muito de levá-lo para Rússia como lembrança se fosse um pouco menor… Mas são cinco litros!

    Mais:

    Aeronave russa Il-76 chega ao Chile para combater incêndios
    Avião russo voa rumo ao Chile onde 11 pessoas morreram nos maiores incêndios florestais
    Tags:
    impressões, povo, incêndios, fogo, extinção, piloto, Il-76, Rússia, Chile
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar