21:05 18 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Barack Obama em entrevista coletiva de fim de ano, 16 de dezembro de 2016.

    Deputado: com suas ações administração Obama está tentando se vingar de Trump

    © REUTERS/ Carlos Barria
    Américas
    URL curta
    16104256

    A administração Obama, que está terminando seu mandato, está tentando com suas ações inadequadas em política externa se vingar de Donald Trump pela sua vitória nas eleições presidenciais dos EUA e complicar ao máximo o ambiente na política externa ao novo dono da Casa Branca.

    A administração Obama, que está terminando seu mandato, está tentando com suas ações inadequadas em política externa se vingar de Donald Trump pela sua vitória nas eleições presidenciais dos EUA e complicar ao máximo o ambiente na política externa ao novo dono da Casa Branca, disse o membro do Comitê de Assuntos Internacionais da Duma, Sergei Zheleznyak, comentando a introdução de novas sanções antirrussas e deportação de diplomatas russos.

    "Com suas ações inadequadas em política externa, a administração Obama, que está terminando seu mandato, está tentando se vingar de Trump pela vitória nas eleições e complicar ao máximo a vida da equipe do novo presidente norte-americano. As convulsões políticas do atual governo dos Estados Unidos contra o nosso país não podem ser explicadas de outra maneira", disse Zhelezyiak aos jornalistas.

    De acordo com ele, os "falhados políticos, saindo, tentam bater com a porta com força, mostrando ao mundo seu ódio histérico e violando as normas existentes da diplomacia e do bom senso".

    "Obama, infelizmente, foi incapaz de vencer suas paixões e deixar a presidência de uma maneira bonita, o que definitivamente fez baixar sua reputação até um nível abaixo do chão", disse Zheleznyak.

    O deputado acredita que Obama está tentando de todas as maneiras possíveis pregar uma peça do novo presidente dos EUA e complicar ao máximo o ambiente em política externa para o novo dono da Casa Branca.

    "Se o excêntrico Obama acredita que com ações destrutivas tais como a deportação de diplomatas russos e fechamento de nossas missões diplomáticas pode fazer a Rússia soberana mudar sua política, então ele obviamente se equivocou", frisou.

    "Seria estranho esperar dele justificações pelos inventados ataques de hackers e outros "crimes" imaginados, mas nós não vamos assistir calados às constantes invectivas e desacatos. Contudo, a Rússia não equipara Obama e sua administração a todo o povo americano, com o qual os russos estão prontos para construir uma cooperação construtiva baseada na igualdade", acrescentou Zheleznyak.

    Ele lembrou que o líder americano recém-eleito, Donald Trump, tem repetidamente manifestado sua opinião sobre a importância das relações russo-americanas e seu desenvolvimento.

    "Não temos ilusões quanto a uma solução instantânea das dificuldades acumuladas nas nossas relações após a tomada de posse do novo presidente dos EUA, mas esperamos que o Sr. Trump se mostre como um político adequado nos assuntos internacionais e aborde os problemas acumulados da América, em vez de criar novos, como foi feito pelo seu antecessor", concluiu o deputado.

    Na quinta-feira (29), os EUA aplicaram sanções em relação aos serviços de inteligência e um número de indivíduos da Rússia, os tendo acusado de "intervenção nas eleições", e anunciaram a deportação do país de 35 diplomatas russos que foram considerados por Obama como "agentes da inteligência russa".

    O porta-voz do presidente russo, Dmitry Peskov, disse que a Rússia discorda categoricamente das acusações infundadas dos EUA contra Moscou. Às sanções de Washington, disse ele, será dada uma resposta adequada no sentido definido pelo chefe de Estado.

    Mais:

    Chancelaria russa chama administração de Obama de 'grupo de falhados rancorosos'
    Obama enviará relatório ao Congresso sobre supostos ciberataques russos
    Obama toma medidas 'secretas' contra Rússia
    Netanyahu critica política de Obama no Oriente Médio e ataca discurso de Kerry
    Tags:
    administração, porta-voz, diplomatas, presidente, relações, deputado, sanções, Duma, Casa Branca, Duma de Estado, Sergei Zheleznyak, Donald Trump, Dmitry Peskov, Barack Obama, EUA, Washington, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik