13:17 20 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    O presidente norte-americano Barack Obama faz discurso no centro cutural Usina del Arte em Buenos Aires durante a sua visita à Argentina, março de 2016

    'Não acredite no que vê': senador russo dá conselhos à Casa Branca

    © AFP 2017/ JUAN MABROMATA
    Américas
    URL curta
    232535321

    O senador russo Alexei Pushkov publicou uma série de tweets em que relembrou os maiores enganos da Casa Branca que tiveram graves consequências.

    O político russo considera que, se baseando em dados errados fornecidos por suas próprias fontes, várias administrações da Casa Branca cometeram uma série de erros graves na sua política externa.

    "Os dados que viu Barack Obama o asseguraram que a guerra da OTAN na Líbia traria a democracia a esse país. No final foi uma catástrofe. Conclusão: Obama, não acredite no que vê", diz um dos tweets.

    "Os dados que viu Obama lhe diziam que os dias de Bashar Assad estavam contados, enquanto Hillary Clinton venceria as eleições presidenciais. Conclusão: não acreditem em todos os dados e não contem os dias dos outros", escreveu o político russo em outro tweet.

    "Os dados que viu Obama o asseguraram que as pessoas na cidade ucraniana de Odessa se queimaram a si mesmas e que não havia neofascistas na Ucrânia. Em Odessa os dados são outros", enfatizou Pushkov.

    "Os dados que viu George W. Bush o asseguraram que Saddam Hussein tinha armas de destruição em massa, enquanto que as fontes de Obama dizem que Rússia está por trás dos ataques de hackers durante as eleições presidenciais nos EUA."

    ​Em conclusão, Pushkov escreve que "a canção que cantam os EUA é sempre a mesma" e que nem sempre se pode acreditar no que se vê.

    Mais:

    Casa Branca indica próximos passos do Daesh no Norte da África
    Obama define condições para uso de armas cibernéticas contra Rússia
    Hillary Clinton não queria sair de casa após saber os resultados das eleições
    Tags:
    política internacional, conselho, Casa Branca, Aleksei Pushkov, Hillary Clinton, Barack Obama, Líbia, Síria, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik