01:44 06 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    315
    Nos siga no

    A renovação das sanções contra o Irã, impostas pelos EUA, tornou-se lei na quinta-feira (15), apesar de Barack Obama não ter assinado o documento.

    A declaração foi feita pela assessoria de imprensa da Casa Branca.

    No dia 1° de dezembro, o Senado dos EUA por unanimidade votou a favor da prorrogação das sanções introduzidas. No quadro da legislação norte-americana, Obama teria que assinar ou vetar o projeto de lei em 15 de dezembro, mas isso não foi feito.

    De acordo com o comunicado da Casa Branca, "essa administração deixou claro que a extensão do Ato de sanções contra o Irã (ISA), enquanto é necessário, corresponde aos nossos compromissos no âmbito do Plano de Ação Conjunta Abrangente (JCPOA)".

    Segundo o comunicado, "a extensão do Ato de sanções contra o Irã está virando lei sem assinatura do presidente".

    Em julho de 2015, o Irã e o grupo P5+1 (EUA, Reino Unido, França, China e Rússia, bem como Alemanha) acordaram com a diminuição gradual das sanções caso Teerã usasse seu programa nuclear somente para fins pacíficos. O acordo entrou em vigor em janeiro de 2016, após a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) ter confirmado oficialmente que o Irã estava cumprindo seus compromissos estabelecidos pelo acordo.

    Mais:

    Irã ameaça romper com acordo nuclear se EUA prorrogarem sanções contra Teerã
    Chancelaria do Irã: prorrogação de sanções contra Teerã minará a confiança nos EUA
    Tags:
    EUA, Irã, Reino Unido, França, China, Rússia, Alemanha, Barack Obama, Senado, Casa Branca, P5+1, Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), sanções, renovação, assinatura, projeto de lei
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar