09:28 22 Fevereiro 2018
Ouvir Rádio
    Presidente norte-americano Barack Obama durante a reunião do G-20 na China, em setembro de 2016

    Obama autoriza apoio militar a forças estrangeiras e irregulares na Síria

    © Sputnik/ Sergey Guneev
    Américas
    URL curta
    21321

    O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, divulgou um memorando nesta quinta-feira renunciando às restrições relacionadas ao apoio militar conferido a forças estrangeiras e irregulares presentes na guerra da Síria, com o objetivo, segundo ele, de melhorar as operações especiais americanas na República Árabe.

    No documento publicado no site da Casa Branca, o chefe de Estado dos EUA trata da seção 2249a, Título 10, do Código dos Estados Unidos da América, e das seções 40 e 40a do Ato de Controle da Exportação de Armas (seções 2780 e 2781 do Código), que dizem respeito, respectivamente, à "proibição de prestar assistência financeira a países terroristas", "transações com países que apoiam atos de terrorismo internacional" e "transações com países que não cooperam plenamente com os esforços antiterroristas dos Estados Unidos". 

    "Determino que a transação que abrange o fornecimento de artigos e serviços de defesa a forças estrangeiras, forças irregulares, grupos ou indivíduos empenhados em apoiar ou facilitar operações militares dos EUA em curso para combater o terrorismo na Síria é essencial para os interesses de segurança nacional dos Estados Unidos", escreve Obama, renunciando "às proibições nas seções 40 e 40a do Ato de Controle da Exportação de Armas relacionadas a essa transação". 

    No texto, o presidente diz renunciar às proibições de fornecer ajuda financeira a países terroristas, "na medida necessária para permitir que o Departamento de Defesa realize tal apoio" e delega ao secretário de Defesa a responsabilidade de tratar desses assuntos junto ao Congresso dos Estados Unidos. 

    "O secretário de Defesa está autorizado a publicar essa determinação no Registro Federal", finaliza assim o memorando. 

    Mais:

    Ministério da Defesa russo: combate ao terrorismo na Síria não era objetivo dos EUA
    Lavrov: Rússia cooperará com Trump no combate ao terrorismo
    Trump planeja acabar com apoio à 'oposição moderada' na Síria
    EUA fazem 'revisão imediata' de apoio à coalização saudita após ataque no Iêmen
    Tags:
    terrorismo, Barack Obama, América, Síria, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik