Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

China pede para que Biden 'pense 2 vezes' antes de falar sobre situação de Taiwan

© AFP 2022 / WANG ZHAOBandeiras dos EUA e da China
Bandeiras dos EUA e da China - Sputnik Brasil, 1920, 23.05.2022
Nos siga noTelegram
Nesta segunda-feira (23), o presidente dos EUA, Joe Biden, declarou que os EUA estão prontos para responder militarmente e defender Taiwan em caso de invasão chinesa.
Em resposta à declaração de Biden, o Ministério das Relações Exteriores da China instou os EUA a terem cuidado com questões relacionadas a Taiwan.
"Nós instamos os EUA a respeitar sinceramente o princípio de Uma Só China e os três comunicados conjuntos sino-americanos, a cumprir seus compromissos em não apoiar a independência de Taiwan e a serem cuidadosos em suas palavras e ações sobre as questões de Taiwan, bem como a não enviarem qualquer sinal equivocado às forças separatistas na ilha", afirmou o porta-voz do MRE chinês, Wang Wenbin.
Além disso, o porta-voz chinês alertou que Taiwan faz parte do território chinês, e caberá à China "tomar medidas para defender sua soberania e interesses de segurança".
Anteriormente, o diretor do Escritório da Comissão Central para Relações Exteriores da China, Yang Jiechi, disse ao assessor de Segurança Nacional dos EUA, Jake Sullivan, durante conversa telefônica que Pequim tomará medidas duras se Washington interferir nos assuntos internos do país.
O presidente Joe Biden fala no Rose Garden da Casa Branca em Washington, durante uma recepção para celebrar o Mês do Patrimônio Ásio-Americano, Nativo do Havaí e das Ilhas do Pacífico, em 17 de maio de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 23.05.2022
Panorama internacional
Biden promete resposta militar caso China invada Taiwan (VÍDEO)
Ele especificou que a questão de Taiwan é a mais importante e sensível nas relações sino-americanas e que, se os EUA continuarem jogando a chamada carta taiwanesa e seguindo o "caminho errado", isso inevitavelmente resultará no surgimento de uma "situação perigosa".
Pequim considera Taiwan parte inalienável de seu território soberano e se opõe a quaisquer contatos oficiais entre a ilha e outros países. Enquanto isso, os EUA apoiam as forças pró-independentistas em Taiwan e vendem armas à ilha.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала