Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Israel não investigará assassinato de jornalista da Al Jazeera

© AP Photo / Majdi MohammedJornalistas cercam o corpo de Shireen Abu Akleh, da rede Al Jazeera, no necrotério do Hospital na cidade de Jenin, na Cisjordânia, 11 de maio de 2022
Jornalistas cercam o corpo de Shireen Abu Akleh, da rede Al Jazeera, no necrotério do Hospital na cidade de Jenin, na Cisjordânia, 11 de maio de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 19.05.2022
Nos siga noTelegram
As Forças de Defesa de Israel (FDI) não abrirão uma investigação criminal sobre a morte da jornalista da Al Jazeera, Shireen Abu Akleh.
A Divisão de Investigação Criminal da Polícia Militar de Israel acredita que uma investigação que trata soldados israelenses como suspeitos levará a uma cisão social dentro da sociedade israelense, informou o Jerusalem Post nesta quinta-feira (19).
"Tendo em vista a natureza da atividade operacional, que incluiu intensos combates e extensas trocas de tiros, decidiu-se que não havia necessidade de abrir um inquérito", diz uma nota emitida pelas FDI.
A jornalista foi morta por um soldado israelense na semana passada, de acordo com testemunhas e colegas que estavam presentes quando ela foi baleada. Ela cobria uma violenta manifestação na cidade de Jenin, na Cisjordânia.
Em resposta ao relatório, a família de Abu Akleh disse que não ficou surpresa com o fato de os militares israelenses potencialmente não investigarem sua morte.
A polícia israelense confronta palestinos enquanto carregam o caixão da jornalista da Al Jazeera Shireen Abu Akleh durante seu funeral, em Jerusalém, em 13 de maio de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 14.05.2022
Panorama internacional
EUA condenam ações da polícia israelense no funeral de jornalista da Al Jazeera assassinada
Em sua defesa, os militares de Israel disseram que entraram em Jenin para realizar prisões e foram recebidos por "disparos generalizados e descontrolados", além de tiros por dispositivos explosivos improvisados ​​lançados contra as tropas.
Israel também sustenta que, em meio ao tiroteio, será muito difícil encontrar o projétil que matou a jornalista, tornando praticamente impossível fazer o exame de balística. Deste modo, escreve a publicação, não se pode garantir de quem partiu o tiro que matou Shireen Abu Akleh.
No dia em que foi morta, Abu Akleh estava usando um capacete e um colete que mostrava em destaque a palavra "imprensa".
A família Abu Akleh recebeu garantias do governo dos EUA de que seu assassinato seria investigado.
Navio Saar 4.5 da Marinha de Israel durante treinamento no mar Mediterrâneo, 4 de abril de 2017 (imagem de arquivo) - Sputnik Brasil, 1920, 16.05.2022
Marinha de Israel conduz exercício surpresa em meio a aumento de tensões com Palestina
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала