Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Ocidente não conseguiu colocar a maior parte do mundo contra Rússia, escreve revista

© Sputnik / Aleksei Vitvitsky / Abrir o banco de imagensAlameda das bandeiras perto do edifício da ONU em Genebra, Suíça
Alameda das bandeiras perto do edifício da ONU em Genebra, Suíça
 - Sputnik Brasil, 1920, 25.04.2022
Nos siga noTelegram
O Ocidente não conseguiu colocar a maior parte do mundo contra a Rússia após o início da operação militar na Ucrânia, escreve colunista Howard French em um artigo para a revista Foreign Policy.
De acordo com French, muitas nações não apoiaram as sanções contra Moscou, incluindo países grandes como a Índia e a China.
"De fato, contabilizando a população destes países torna-se claro que os Estados que representam a maioria da humanidade não tomaram qualquer posição neste conflito, enxergando nele os ecos familiares da antiga rivalidade entre Oriente e Ocidente", disse French.
Segundo o colunista, o sistema político internacional, formado no início do século XX, atribuiu desde o início um status de segunda classe aos países do "terceiro mundo". Como exemplo, o colunista citou a colonização da África por países europeus.
"Foi o trabalho de milhões de pessoas escravizadas que cultivavam enormes quantidades de açúcar e algodão, limpavam a terra e faziam todas as outras tarefas não remuneradas que fez as colônias americanas rentáveis para a Europa e tornou o chamado Velho Mundo novo e rico", observa o autor do artigo.
Presidente da Venezuela, Nicolas Maduro, fala à mídia no Palácio Miraflores, em Caracas, dia 16 de agosto de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 21.04.2022
Panorama internacional
Maduro: efeito bumerangue causado por sanções ocidentais contra Rússia atinge Europa, EUA e mundo
Na semana passada, a China elogiou a "resiliência" de seus laços com Moscou, renovando sua promessa de aprofundar a "coordenação estratégica" bilateral entre os países apesar das sanções impostas pelos EUA e alguns de seus aliados.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала