Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

No G20, ministro das Finanças russo alerta sobre riscos globais gerados pelas sanções contra Rússia

© Sputnik / Vladimir Fedorenko / Abrir o banco de imagensAnton Siluanov, ministro de Finanças da Rússia
Anton Siluanov, ministro de Finanças da Rússia - Sputnik Brasil, 1920, 20.04.2022
Nos siga noTelegram
Autoridade russa afirma em reunião do G20 que quem sofrerá mais com as sanções contra Moscou serão os "países em desenvolvimento e de baixa renda". Siluanov também pediu aos colegas do grupo que evitem "politizar o diálogo", uma vez que a organização tem fins "econômicos".
Nesta quarta-feira (20), em reunião com chefes de Bancos Centrais e seus homólogos dos países do G20 em Washington, EUA, o ministro das Finanças russo, Anton Siluanov, alertou para os novos riscos que a economia mundial pode sofrer decorrentes das sanções impostas à Rússia.

"A situação da economia mundial piorou consideravelmente. A política fiscal e monetária muito fácil, implementada nos últimos anos nos países desenvolvidos, já criou pressão inflacionária no ano passado, e as restrições de sanções impostas contra a Rússia não apenas a fortaleceram ainda mais, mas também criaram novos riscos para economia", disse Siluanov.

Ainda de acordo com o chefe das Finanças, "o aumento dos preços da energia e dos produtos agrícolas afetará principalmente os países em desenvolvimento e de baixa renda, alguns dos quais ameaçados não apenas por problemas econômicos, mas também por graves consequências sociais".

"Outra parte da crise atual consiste na erosão da confiança no sistema monetário e financeiro internacional existente. A segurança das reservas internacionais e a livre condução das transações comerciais e financeiras não são mais garantidas. O acesso de qualquer economia aos recursos das instituições financeiras internacionais passou a depender da fidelização de seus maiores acionistas", ressaltou.

Em comunicado, a pasta das Finanças também afirma que o ministro pediu a seus colegas e chefes de bancos que evitem politizar o diálogo, enfatizando que o G20 "sempre foi e continua sendo, antes de tudo, um espaço econômico".
O ministro das Finanças da Rússia, Anton Siluanov, fala com legisladores russos na Câmara Baixa do Parlamento em Moscou, Rússia, 27 de setembro de 2018 - Sputnik Brasil, 1920, 12.04.2022
Panorama internacional
Rússia não deixou de pagar dívida externa, tudo deve ser tratado com EUA, diz ministro das Finanças
Siluanov também apontou que a pandemia permanece como um importante desafio para a economia mundial, o que aponta para "a importância de reforçar a coordenação do G20 não só no campo financeiro, mas também no setor da saúde".
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала