- Sputnik Brasil, 1920
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Com Telegram na mira do TSE, Bolsonaro diz que cerco em torno do aplicativo é 'covardia'

© AP Photo / Aleksandr NemenovFoto ilustrativa tirada em Moscou mostra o aplicativo de mensagens Telegram exibido na tela de um smartphone
Foto ilustrativa tirada em Moscou mostra o aplicativo de mensagens Telegram exibido na tela de um smartphone - Sputnik Brasil, 1920, 27.01.2022
Nos siga noTelegram
Presidente conversou com apoiadores, os quais acreditam que TSE quer "cortar a comunicação" entre o chefe do Executivo e seus eleitores. Bolsonaro disse que está "tratando" do assunto.
No dia 19 de janeiro, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) disse que faria reunião para discutir o uso do Telegram durante as eleições no país, conforme noticiado.
Nesta quinta-feira (27), o presidente, Jair Bolsonaro (PL), ao responder aos apoiadores na saída do Palácio do Planalto que o indagaram sobre a possível proibição do aplicativo, respondeu que "é uma covardia o que estão querendo fazer com o Brasil", segundo a Folha de São Paulo.
Em seguida, uma apoiadora completou a fala do presidente: "[uma covardia] cortarem nossa comunicação". Bolsonaro foi cirúrgico na resposta e só afirmou: "A gente está tratando disso".
O TSE julga preocupante o uso do aplicativo durante o período eleitoral, uma vez que pode ajudar a proliferar a ação das chamadas "milícias digitais".
Aplicativo Telegram instalado nos smartphones  - Sputnik Brasil, 1920, 12.01.2022
Panorama internacional
Governo da Alemanha diz que pode bloquear Telegram caso aplicativo não delete conteúdo ilegal
Ao mesmo tempo, o tribunal nunca obteve resposta do Telegram (que não tem sede no Brasil) em seguidas e frustradas tentativas de contato com a plataforma, especialmente para tratar de assuntos relacionados às investigações sobre disseminação de fake news, o que corrobora à análise de seu bloqueio.
No dia 16 de dezembro do ano passado, o presidente do TSE, Luiz Roberto Barroso, enviou um ofício ao Telegram, direcionado ao diretor executivo do aplicativo, Pavel Durov. No texto, o ministro solicitou uma reunião para discutir possíveis formas de cooperação sobre o combate à desinformação, mas segundo a mídia, não obteve resposta.
Além do TSE, o Ministério Público e o Supremo Tribunal Federal também já tentaram contato com a plataforma em mais de uma ocasião ao longo de 2021.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала