Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para
Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

China fica 'nervosa' quando navios da Guarda Costeira dos EUA treinam com taiwaneses, diz comandante

© REUTERS / Marinha dos EUA / HandoutUSS Kidd, destróier de mísseis guiados da classe Arleigh Burke, e Munro, navio da Guarda Costeira dos EUA, transitam pelo estreito de Taiwan em 27 de agosto de 2021
USS Kidd, destróier de mísseis guiados da classe Arleigh Burke, e Munro, navio da Guarda Costeira dos EUA, transitam pelo estreito de Taiwan em 27 de agosto de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 13.01.2022
Nos siga no
Enquanto a proteção do litoral americano continua sendo a principal missão da Guarda Costeira dos EUA, o envio dos seus navios e pessoal para a Ásia, Europa e Oriente Médio tem levantado inúmeras questões sobre o que o serviço está fazendo ao operar a milhares de quilômetros de suas águas territoriais.
A Guarda Costeira dos EUA está assumindo um papel mais assertivo contra a China no oceano Pacífico e realizando missões que a Marinha americana é incapaz ou não está orientada para executar, disse o comandante da Guarda, almirante Karl Schultz.

"O que fazemos não é grande em números, mas acho que é bastante significativo em contribuição. Temos acesso, podemos ir a [vários] lugares", disse Schultz em um evento recente, citado pelo Business Insider.

Como exemplo, o comandante referiu o navio USCGC Munro, que realizou uma missão de mais de três meses no Indo-Pacífico em outubro passado, conduzindo exercícios com a Marinha australiana e passando pelo estreito de Taiwan, além de se juntar às forças de Taiwan para treinamento. Durante a sua implantação do Pacífico, Munro ficou subordinado à 7ª Frota dos EUA.
"Os chineses [ficam] muito nervosos quando a Guarda Costeira está lá treinando com os taiwaneses", disse Schultz. Há áreas que marcam a diferença, que irritam um pouco mais", afirmou.
Tecnicamente, os militares dos EUA e a Guarda Costeira estão proibidos de implantar tropas em território taiwanês ou realizar exercícios com os militares da ilha, segundo os acordos entre a China e os EUA alcançados nos anos 1970 e início dos anos 1980.
No entanto, no ano passado, foi revelado que um "reduzido número" de tropas dos EUA estavam ilegalmente implantadas em Taiwan desde, pelo menos, 2008, e que mais de 600 militares teriam estado na ilha nos últimos dois anos.
Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала