Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para
Trabalhador da saúde segura seringa em ponto de vacinação contra a COVID-19 em loja de departamentos GUM de Moscou, Rússia - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Propagação e combate à COVID-19
Informações atuais sobre a dissimilação de coronavírus no Brasil e no mundo. Fique por dentro das principais notícias sobre o tema.

COVID-19: EUA enviam 9 milhões de doses de vacinas para a África, diz Casa Branca

© REUTERS / Evelyn HocksteinEm Washington, o presidente norte-americano, Joe Biden, discursa sobre a vacinação contra a COVID-19 em crianças, em 3 de novembro de 2021
Em Washington, o presidente norte-americano, Joe Biden, discursa sobre a vacinação contra a COVID-19 em crianças, em 3 de novembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 03.12.2021
Nos siga no
Nesta sexta-feira (3), a Casa Branca anunciou o envio de nove milhões de doses de vacinas contra a COVID-19 para o continente africano. Além disso, dois milhões de doses serão enviadas ao resto do mundo.
O anúncio foi realizado pelo assistente de secretaria de imprensa da Casa Branca, Kevin Munoz, que comunicou os detalhes por meio das redes sociais.
Ontem, o presidente dos EUA, Joe Biden, disse que aceleraria o envio de vacinas para o mundo. Hoje, estamos enviando nove milhões de doses de vacinas para a África e outros dois milhões para o resto do mundo. Nós precisamos que todos os países se posicionem com a mesma urgência e ambição dos EUA.
Na quinta-feira (2), o presidente norte-americano, Joe Biden, prometeu acelerar os esforços dos Estados Unidos para ajudar a vacinação ao redor do mundo. Em setembro, Biden anunciou que os EUA doariam mais 500 milhões de doses de vacinas para ajudar outros países a se protegerem do novo coronavírus.
Além dos EUA, anteriormente a China já havia anunciado o envio de um bilhão de doses de vacinas para os países africanos para acelerar a vacinação no continente. Sem estimar valores, o governo da Índia também anunciou que pretende enviar doses de vacinas aos africanos.
A situação africana ficou em evidência em meio ao clima de urgência criado em torno da identificação da variante Ômicron do vírus SARS-CoV-2 na África do Sul, em 25 de novembro. Segundo a Organização Mundial da Saúde, a variante já foi encontrada em 38 países desde então, incluindo o Brasil.
© REUTERS / Sumaya HishamUm profissional de saúde aplica uma dose da vacina da Johnson & Johnson contra a COVID-19 em uma mulher em Houghton, em Joanesburgo, na África do Sul, em 20 de agosto de 2021
Um profissional de saúde aplica uma dose da vacina da Johnson & Johnson contra a COVID-19 em uma mulher em Houghton, em Joanesburgo, na África do Sul, em 20 de agosto de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 03.12.2021
Um profissional de saúde aplica uma dose da vacina da Johnson & Johnson contra a COVID-19 em uma mulher em Houghton, em Joanesburgo, na África do Sul, em 20 de agosto de 2021
Conforme a Organização Mundial da Saúde (OMS), as taxas de vacinação da África continuam muito baixas, com apenas 7,5% da população africana totalmente vacinada. A disparidade com o resto do mundo é grande. Os dados do site Our World in Data, ligado à Universidade de Oxford, mostram que o continente menos vacinado depois da África é a Ásia, que mesmo assim tem 50% da população totalmente vacinada.
Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала