Filipinas recebem 1º lote da vacina russa Sputnik V contra a COVID-19

© Sputnik / Vladimir Pesnya / Abrir o banco de imagensEm Moscou, na Rússia, um profissional de saúde segura uma ampola com a vacina russa Sputnik V contra a COVID-19, em 30 de abril de 2021
Em Moscou, na Rússia, um profissional de saúde segura uma ampola com a vacina russa Sputnik V contra a COVID-19, em 30 de abril de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 01.05.2021
Nos siga noTelegram
Neste sábado (1º), as Filipinas receberam o primeiro lote da vacina russa Sputnik V contra a COVID-19, com um total de 15 mil doses, conforme a mídia local.

A expectativa inicial era de que o país do Sudeste Asiático recebesse o primeiro lote da vacina russa ainda na quinta-feira (29), mas o embarque sofreu um atraso devido a problemas logísticos.

As vacinas foram entregues em um voo da Qatar Airways e chegaram ao aeroporto internacional Ninoy Aquino, na capital filipina, Manila, às 03h50 (16h50 no horário de Brasília), segundo informou o jornal local Philippine Daily Inquirer, citando o assistente presidencial de Relações Exteriores das Filipinas, Robert Borje.

Conforme dados da Universidade Johns Hopkins, as Filipinas têm 1.046.653 casos confirmados de COVID-19 e 17.354 mortes causadas pela doença. O país asiático já vacinou cerca de 1,64 milhão de pessoas com pelo menos a primeira dose de uma vacina contra a COVID-19, de acordo com levantamento do site Our World in Data. As Filipinas têm uma população de cerca de 108 milhões de pessoas.

© Sputnik / Yevgeny Odinokov / Abrir o banco de imagensEnfermeira prepara dose da Sputnik V para aplicação em Moscou, na Rússia.
Filipinas recebem 1º lote da vacina russa Sputnik V contra a COVID-19 - Sputnik Brasil, 1920, 01.05.2021
Enfermeira prepara dose da Sputnik V para aplicação em Moscou, na Rússia.

O Sputnik V foi a primeira vacina contra o novo coronavírus a ser registrada, ainda em agosto de 2020. Desde então, um total de 64 países já aprovaram o imunizante, que se tornou o segundo em termos de número de aprovações por órgãos sanitários ao redor do mundo, inclusive na América Latina, onde, apesar do imbróglio no Brasil, diversos países aprovaram o fármaco, como Paraguai, Argentina, México e Bolívia.

De acordo com a mais recente análise de dados sobre a porcentagem de infecções após a vacinação com a Sputnik V, entre 3,8 milhões de russos vacinados, a vacina mostrou 97,6% de eficácia contra os casos sintomáticos de COVID-19.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала