Agente e chefe de polícia renunciam após assassinato de jovem negro em Minnesota

© Foto / Jim MoneManifestantes protestam contra o assassinato de Duante Wright, em Brooklyn Center, cidade no estado de Minnesota, nos EUA.
Manifestantes protestam contra o assassinato de Duante Wright, em Brooklyn Center, cidade no estado de Minnesota, nos EUA.  - Sputnik Brasil, 1920, 13.04.2021
Nos siga noTelegram
O prefeito de Brooklyn Center, cidade no estado de Minnesota, nos EUA, anunciou nesta terça-feira (13) que Tim Gannon, chefe do Departamento de Polícia, apresentou um pedido de demissão do cargo.

Além Gannon, a agente Kimberly Potter, oficial que atirou e matou Duante Wright, de 20 anos, no domingo (11), também pediu demissão. As informações foram publicadas pela agência Reuters.

As saídas ocorrem após o conselho municipal aprovar uma resolução para demitir tanto Potter quanto Gannon, que chegou a dizer que a morte de Wright foi um acidente.

"Espero que isso traga um pouco de calma para a comunidade", disse Elliott. "Queremos enviar uma mensagem de que estamos levando esta situação a sério", completou.

Duante Wright foi parado por agentes devido a uma suposta infração de trânsito. Durante a abordagem o jovem negro foi atingido com tiros de arma de fogo, que teria sido confundida, segundo a polícia, com um taser, arma de choque.

​Durante a abordagem, a polícia constatou que havia um mandado de prisão pendente contra Wright em decorrência de uma audiência judicial ele não compareceu. Os agentes tentaram algemá-lo, mas ele resistiu.

Foi nesse momento então que Kimberly Potter, uma policial com 26 anos de experiência, disparou uma arma com munição letal contra Wright.

A morte de Duante Wright desencadeou protestos violentos na cidade de Brooklyn Center, localizada a menos de 20 quilômetros de onde George Floyd foi assassinado no ano passado.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала