Raios X são detectados pela 1ª vez em Urano, provavelmente provenientes dos anéis do planeta (VÍDEO)

Urano (ilustração) - Sputnik Brasil, 1920, 01.04.2021
Nos siga noTelegram
Determinar as fontes dos raios X de Urano pode ajudar os astrônomos a entender melhor como objetos mais exóticos no espaço, como buracos negros em crescimento e estrelas de nêutrons, emitem raios X.

Com o auxílio do Observatório de Raios X Chandra, da agência espacial norte-americana NASA, astrônomos detectaram pela primeira vez raios X a partir de Urano. A descoberta pode ajudar os cientistas a aprender mais sobre este enigmático planeta gigante de gelo em nosso Sistema Solar. Os resultados foram publicados na quarta-feira (31) na revista científica Journal of Geophysical Research.

Os pesquisadores usaram observações do Chandra feitas em Urano em 2002 e em 2017. No primeiro episódio, houve uma detecção menor e, 15 anos depois, um possível surto de raios X. O que pode fazer com que Urano emita raios X? A resposta: principalmente o Sol.

Os astrônomos observaram que tanto Júpiter quanto Saturno espalham a luz de raios X emitida pelo Sol, de forma semelhante à forma como a atmosfera da Terra espalha a luz solar. Embora os cientistas inicialmente esperassem que a maioria dos raios X detectados também fossem de espalhamento, há indícios de que pelo menos uma outra fonte de raios X está presente. Se outras observações confirmarem essa hipótese, isso pode ter implicações intrigantes para a compreensão de Urano.

Urano é cercado por partículas carregadas, como elétrons e prótons, e é possível que os anéis de Urano estejam produzindo raios X assim como acontece com os anéis de Saturno. Se essas partículas energéticas colidirem com os anéis, podem fazer com que os anéis brilhem em raios X. Outra possibilidade é que pelo menos alguns dos raios X venham de auroras em Urano, um fenômeno que já foi observado nesse planeta em outros comprimentos de onda.

Eixo exótico

Urano é o sétimo planeta do Sol e tem dois conjuntos de anéis ao redor de seu equador. O planeta, que tem quatro vezes o diâmetro da Terra, gira de lado, o que o torna diferente de todos os outros planetas do Sistema Solar. Urano é composto quase inteiramente de hidrogênio e hélio.

Urano é um alvo especialmente interessante para observações de raios X por causa das orientações incomuns de seu eixo de rotação e seu campo magnético. Enquanto os eixos de rotação e campo magnético dos outros planetas do Sistema Solar são quase perpendiculares ao plano de sua órbita, o eixo de rotação de Urano é quase paralelo ao seu caminho ao redor do Sol.

Além disso, enquanto Urano está inclinado de lado, seu campo magnético é inclinado em uma quantidade diferente e deslocado do centro do planeta. Isso pode fazer com que suas auroras sejam extraordinariamente complexas e variáveis. Determinar as fontes dos raios X de Urano pode ajudar os astrônomos a entender melhor como objetos mais exóticos no espaço, como buracos negros em crescimento e estrelas de nêutrons, emitem raios X.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала