Cuba responsabiliza EUA por impedir remessas internacionais para a ilha

© Sputnik / Aleksandr Demyanchuk / Abrir o banco de imagensLogo da Western Union
Logo da Western Union - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A ilha responsabilizou o governo dos EUA pelo fechamento dos 407 pontos do serviço de transferência de dinheiro Western Union localizados em seu território.

O encerramento das atividades da empresa norte-americana ocorre após sua contraparte cubana Fincimex ser incluída em uma lista de sanções, que vai impedir que as remessas cheguem às famílias cubanas, informou a Corporação Cimex.

"A inclusão da Fincimex na lista de entidades sancionadas do Departamento de Estado dos EUA no último mês de junho, e as modificações anunciadas pelo Departamento do Tesouro na sexta-feira, 23 de outubro, ao regulamento de controle de ativos cubanos, vão impedir as remessas para Cuba através de companhias norte-americanas com licenças gerais, o que vai prejudicar diretamente o povo cubano e suas famílias nos Estados Unidos", salienta a entidade.

A Cimex declara que esta medida, adotada em meio à pandemia da COVID-19, "realça o cinismo, o desprezo pelo povo cubano e o oportunismo do governo norte-americano".

© AP Photo / Ramon EspinosaEm Havana, Cuba, uma mulher acompanha uma criança que anda de bicicleta enquanto ambos usam máscaras de proteção devido à pandemia da COVID-19, em 3 de julho de 2020.
Cuba responsabiliza EUA por impedir remessas internacionais para a ilha - Sputnik Brasil
Em Havana, Cuba, uma mulher acompanha uma criança que anda de bicicleta enquanto ambos usam máscaras de proteção devido à pandemia da COVID-19, em 3 de julho de 2020.

Além disso, denuncia que as remessas familiares para Cuba "têm sido continuamente politizadas pela extrema-direita anticubana, uma vez que, desde setembro de 2019, o governo dos EUA tem aplicado medidas coercitivas para restringir o fluxo de remessas".

"Recai no governo norte-americano a responsabilidade pela interrupção do serviço de remessas entre os dois países", enfatiza a corporação, afirmando que a maioria dos imigrantes cubanos nos EUA apoia a existência de vínculos estáveis com suas famílias na ilha.

No sábado (24), o Gabinete de Controle de Ativos Estrangeiros dos EUA (OFAC, na sigla em inglês) anunciou o estabelecimento, a partir desta terça-feira (27), de uma nova regra que modifica e proíbe as transações financeiras a partir do país para aproximadamente 200 empresas cubanas.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала