Marinha dos EUA se prepara para construir destróier de última geração

© REUTERS / Ahmad MasoodDestróier John McCain da Marinha dos EUA depois da colisão nas águas de Singapura em 21 de agosto de 2017
Destróier John McCain da Marinha dos EUA depois da colisão nas águas de Singapura em 21 de agosto de 2017 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A Marinha dos EUA considera construir um destróier de última geração, após o sucesso da classe Arleigh Burke.

A ideia, coloquialmente chamada de DDG Next (destróier porta-mísseis de próxima geração) é construir uma embarcação com um casco menor que o do destróier da classe Zumwalt, de quase 16 mil toneladas, mas ainda grande o bastante para acomodar um grande compartimento de mísseis, disse o almirante Michael Gilday em uma audiência virtual nesta terça-feira (13), citado pelo Defense News.

"Não quero construir uma monstruosidade. Porém, preciso de compartimentos mais profundos nas embarcações do que as que tenho agora", disse o chefe de operações navais.

"[...] Portanto, a ideia é criar um novo destróier de última geração, e isso significaria um novo casco. A ideia seria colocar as tecnologias atuais nesse casco e modernizar essas capacidades com o tempo", continuou o almirante.

A Marinha norte-americana deveria começar a construir uma nova embarcação em 2025. Contudo, ainda não está claro como essa avaliação vai alterar o planejamento. Nos recentes pronunciamentos do Departamento de Estado, o secretário Mark Esper não mencionou o futuro navio de combate.

© AP Photo / Marinha dos EUA / Ford WilliamsDestróier americano USS Porter lança míssil Tomahawk no mar Mediterrâneo (foto de arquivo)
Marinha dos EUA se prepara para construir destróier de última geração - Sputnik Brasil
Destróier americano USS Porter lança míssil Tomahawk no mar Mediterrâneo (foto de arquivo)

A Marinha estima que precisaria anualmente de US$ 22 bilhões (R$ 122,5 bilhões), em valores de 2019, para executar a construção. Ainda assim, o Gabinete de Orçamento do Congresso avalia que este valor seria 30% superior.

O surgimento de mísseis hipersônicos tem impulsionado a Marinha dos EUA a projetar novas embarcações, uma vez que estas armas não vão caber no sistema de lançamento dos destróieres da classe Arleigh Burke.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала