Vaticano confirma primeiros casos de COVID-19 na Guarda Suíça

© Sputnik / Giampiero SpositoGuarda Suíça na praça de São Pedro, no Vaticano, antes do início da missa da Páscoa
Guarda Suíça na praça de São Pedro, no Vaticano, antes do início da missa da Páscoa - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O Vaticano confirmou hoje que quatro integrantes da Guarda Suíça apresentaram no fim de semana sintomas da COVID-19. Estes são os primeiros casos envolvendo o corpo de 150 soldados que, desde 1506, faz a proteção do Papa e do menor estado soberano do mundo.

Os outros três casos foram diagnosticados há algumas semanas, mas são de residentes e cidadãos do Vaticano, informou em entrevista coletiva o diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Matteo Bruni.

"Tratam-se, no momento, de quatro pessoas com sintomas, todas colocadas em isolamento. Estão sendo efetuadas as verificações necessárias entre as pessoas que possam ter estado em contato direto com eles", disse Bruni.

Ele também observou que todos os guardas, em serviço ou não, usam máscaras ao ar livre em locais fechados e que observam as medidas de saúde prescritas.

Bruni disse também que todos têm sintomas leves para os quais foram adotadas medidas de isolamento na própria moradia e devidas verificações nas pessoas envolvidas.

O Vaticano tem 440 mil metros quadrados e uma população fixa de 850 pessoas, de acordo com dados do ano passado. Considerando também o número de visitantes, ele tem uma densidade demográfica de 1.891 pessoas por quilômetro quadrado.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала