Dois policiais são baleados durante protestos em Louisville, nos EUA

© AP Photo / John MinchilloEm Louisville, no estado norte-americano de Kentucky, um policial empunha uma arma durante protestos após a condenação de um agente pelo assassinato de Breonna Taylor, em 23 de setembro de 2020.
Em Louisville, no estado norte-americano de Kentucky, um policial empunha uma arma durante protestos após a condenação de um agente pelo assassinato de Breonna Taylor, em 23 de setembro de 2020. - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Nesta quarta-feira (23), dois policiais foram baleados durante protestos em andamento em Louisville, nos Estados Unidos. As manifestações ocorrem após condenação de apenas um policial pelo assassinato da enfermeira negra Breonna Taylor.

Segundo publicou a emissora Sky News, ao menos dois policiais teriam sofrido disparos durante os protestos na noite desta quarta-feira (23).

Mais cedo, o procurador-geral do estado de Kentucky, Daniel Cameron, anunciou em uma entrevista coletiva que o uso da força por dois policiais na morte de Breonna Taylor, em março, é justificável sob a lei estadual.

No entanto, Cameron disse que um grande júri dos EUA decidiu indiciar um dos policiais envolvidos, Brett Hankison, com três acusações devido aos tiros que ele disparou durante a batida policial no apartamento de Taylor, terem entrado em um apartamento ao lado, colocando em risco três residentes do imóvel.

© REUTERS / Bryan WoolstonEm Louisville, no estado norte-americano de Kentucky, agentes fazem a segurança próximo ao local onde dois policiais foram feridos por disparos em meio aos protestos contra a condenação de apenas um policial pelo assassinato de Breonna Taylor, em 23 de setembro de 2020.
Dois policiais são baleados durante protestos em Louisville, nos EUA - Sputnik Brasil
Em Louisville, no estado norte-americano de Kentucky, agentes fazem a segurança próximo ao local onde dois policiais foram feridos por disparos em meio aos protestos contra a condenação de apenas um policial pelo assassinato de Breonna Taylor, em 23 de setembro de 2020.

Após a decisão, uma manifestação com milhares de pessoas saiu às ruas da cidade. Com o crescimento da tensão e dos confrontos em meio aos protestos, o prefeito de Louisville, Greg Fischer, impôs um toque de recolher na cidade.

Taylor foi morta em sua casa em Louisville em março, quando os policiais executaram um mandado de busca de drogas. O namorado de Taylor teria disparado um primeiro tiro em legítima defesa, temendo que os agentes fossem ladrões, e em seguida os três policiais dispararam contra a casa, atingindo Taylor várias vezes.

© AP Photo / Julio CortezManifestante carrega a bandeira dos EUA virada ao contrário, durante protestos em Minneapolis, 28 de maio de 2020
Dois policiais são baleados durante protestos em Louisville, nos EUA - Sputnik Brasil
Manifestante carrega a bandeira dos EUA virada ao contrário, durante protestos em Minneapolis, 28 de maio de 2020

O assassinato de Breonna taylor tornou-se um símbolo em meio aos crescentes protestos antirracistas nos EUA ao longo de 2020, que eclodiram principalmente após a morte de George Floyd, em maio, quando manifestações se espalharam por todo o país.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала