Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Segredo para combater eficazmente COVID-19 pode estar em uma vitamina

© Foto / PixabayLegumes
Legumes - Sputnik Brasil
Nos siga no
Cientistas holandeses acreditam ter estabelecido uma ligação entre deficiência de vitamina K e o desenvolvimento de formas graves ou fatais da COVID-19.

Pesquisadores que estudaram pacientes internados no hospital Canisius Wilhelmina, na cidade holandesa de Nijmegen, destacaram os benefícios da vitamina K após descobrirem uma ligação entre a sua deficiência no organismo e as manifestações mais graves da COVID-19.

A notícia foi avançada pelo jornal britânico The Guardian e refere que a COVID-19, doença provocada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, causa a coagulação do sangue e leva à degradação das fibras elásticas nos pulmões.

A vitamina K, que é ingerida através dos alimentos e absorvida no trato gastrointestinal, é fundamental para a produção de proteínas que regulam a coagulação e pode proteger as fibras pulmonares contra o ataque do novo coronavírus.

Resultados do estudo

Segundo o Guardian, a investigação, realizada em parceria com o Instituto de Pesquisa Cardiovascular de Maastricht (Países Baixos) - um dos maiores institutos de pesquisa cardiovascular e vascular da Europa - estudou 134 pacientes internados com COVID-19 entre 12 de março e 11 de abril, comparando os dados com um grupo de 184 pacientes que não apresentava a doença.

O estudo apurou que os pacientes falecidos ou internados em UTIs por COVID-19 apresentavam níveis baixos de vitamina K.

Jona Walk, coautora do estudo, adiantou ser intenção dos pesquisadores "dar vitamina K em uma dose significativa e suficientemente alta para realmente ativar [a proteína] que é tão importante para proteger os pulmões, e verificar se ela é segura".

Principais recomendações

Rob Janssen, outro cientista que trabalha no projeto, disse que, à luz das descobertas iniciais, aconselha uma ingestão saudável de vitamina K, exceto para aqueles que tomam medicamentos anticoagulantes para o sangue, utilizados na prevenção e tratamento de doenças tromboembólicas.

"Existem [vitaminas] K1 e K2. A K1 está em espinafres, brócolis, verduras, mirtilos e em todos os tipos de frutas e verduras. A K2 é melhor absorvida pelo organismo e podemos encontrá-la no queijo [azul] holandês, tenho que dizer, e no queijo francês também", explicou Janssen ao Guardian.

O cientista recomendou, assim, um regime alimentar rico em vitamina K, por ser "boa para os vasos sanguíneos, ossos e provavelmente também para os pulmões".

Janssen referiu-se igualmente a uma iguaria japonesa feita de grãos de soja fermentados chamada natto, muita rica em vitamina K2, e "que nas regiões do Japão onde existe o hábito de se comer muito natto, não há uma única pessoa a morrer de COVID-19. Isso é motivo de reflexão, eu diria".

Assim, os cientistas acreditam que uma mudança de hábitos alimentares poderia ser uma arma eficaz contra o novo coronavírus, pelo que procuram financiamento para avançar com novos testes clínicos.

As melhores fontes de vitamina K na natureza são os vegetais de folhas verdes, tais como folhas de nabo, espinafres, brócolis, couve e alface. Outras fontes ricas são as sementes de soja, fígado de vaca e chá verde. Boas fontes incluem a gema de ovo, aveia, trigo integral, batatas, tomates, espargos, manteiga e queijo.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала