Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Assessor de Segurança Nacional de Trump nega racismo sistêmico nas polícias dos EUA

© REUTERS / Joshua RobertsO assessor de Segurança Nacional do presidente dos EUA, Donald Trump, Robert O'Brien, é entrevistado na Casa Branca, em 24 de maio de 2020.
O assessor de Segurança Nacional do presidente dos EUA, Donald Trump, Robert O'Brien, é entrevistado na Casa Branca, em 24 de maio de 2020. - Sputnik Brasil
Nos siga no
Neste domingo (31), Robert O'Brien, assessor de Segurança Nacional da Casa Branca, negou que haja "racismo sistêmico" na força policial dos Estados Unidos.

A afirmação vem em meio a uma explosão de protestos antirracistas em dezenas de cidades dos EUA.

"Não, não acho que exista racismo sistêmico. Acho que 99,9% de nossos policiais são grandes americanos", disse O'Brien durante entrevista a um programa da emissora CNN.

O assessor de Trump argumentou que há algumas "maçãs podres" que seriam racistas entre os policiais e que isso daria a impressão de que há racismo generalizado entre as forças policiais norte-americanas.

"Não há dúvida de que existem policiais racistas, acho que são a minoria. Acho que são as poucas maçãs podres e precisamos eliminá-las", acrescentou O'Brien.
© REUTERS / Jonathan DrakeManifestantes rasgam bandeira dos EUA em Raleigh, Carolina do Norte, durante ato de protesto após a morte do cidadão George Floyd
Assessor de Segurança Nacional de Trump nega racismo sistêmico nas polícias dos EUA - Sputnik Brasil
Manifestantes rasgam bandeira dos EUA em Raleigh, Carolina do Norte, durante ato de protesto após a morte do cidadão George Floyd

Dezenas de cidades norte-americanas convivem há dias com protestos antirracistas de massa organizados após o assassinato de George Floyd, em Minneapolis, nos EUA. Floyd, um homem negro, estava desarmado quando foi asfixiado até a morte por policiais durante uma ação policial que foi gravada em vídeo e viralizou na Internet.

Os protestos que começaram na cidade do estado de Minnesota se espalharam desde então. Após cenas de saques e violência, o presidente Trump chegou a ameaçar usar força militar letal contra os manifestantes. Diversas cidades decretaram toque de recolher e autoridades preocupam-se diante das aglomerações devido à pandemia do novo coronavírus, que já matou mais de 100 mil pessoas nos EUA e segue enfraquecendo a economia do país.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала