Apesar da pandemia, novo porta-aviões britânico HMS Queen Elisabeth começa a navegar

© REUTERS / Peter NichollsPorta-aviões da Marinha Real Britânica HMS Queen Elizabeth
Porta-aviões da Marinha Real Britânica HMS Queen Elizabeth - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Em 29 de abril, o porta aviões britânico HMS Queen Elisabeth deixou a base de Portmouth para treinamentos.

Atualmente, a embarcação de 65 mil toneladas passa por um período de isolamento no mar antes de iniciar treinamentos no sul da costa da Inglaterra, revela o portal Defense News.

Esta data foi adiada por alguns dias para permitir que toda a tripulação de 800 pessoas realizasse testes para COVID-19, anunciou a Marinha Real britânica.

Espera-se que o porta-aviões permaneça navegando por um período de até oito semanas, conduzindo o Treinamento Marítimo Oficial da Bandeira (FOST, na sigla em inglês), requerido para certificar que a embarcação é capaz de se juntar à frota britânica para missões operacionais.

O Reino Unido planeja que em 2021 seja realizada sua primeira operação, portanto, o FOST é um elemento-chave para este planejamento.

Devido aos impactos da pandemia do coronavírus em território britânico, a embarcação somente recebeu permissão para navegar após a Marinha Real enviar uma solicitação ao secretário de Defesa britânico, Ben Wallace, explicando a necessidade de inaugurar o navio.

"A continuação destes treinamentos foi acordada com os principais líderes da Defesa", comentou a Marinha Real do Reino Unido ao anunciar a partida do navio.

Wallace disse ao Comitê de Defesa que, além das medidas de isolamento que navios sempre realizaram, a Marinha Real está "em um local onde podemos cuidar do bem-estar, enquanto mantemos algumas das principais operações defensivas que devemos realizar".

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала