- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Mercosul terá fundo de US$ 16 milhões para combate à COVID-19 nos países do bloco

© REUTERS / Agustin MaracarianAgente de saúde mede temperatura de motociclistas, em Buenos Aires, Argentina, 19 de março de 2020
Agente de saúde mede temperatura de motociclistas, em Buenos Aires, Argentina, 19 de março de 2020 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O Mercosul destinará US$ 16 milhões para um projeto sobre "Pesquisa, Educação e Biotecnologia aplicada à Saúde", focado no combate ao novo coronavírus.
"O Mercosul aprovou um fundo de emergência para combater a COVID-19", disse o Ministério das Relações Exteriores da Argentina em comunicado divulgado no sábado.

O bloco regional que inclui Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai articulará as autoridades dos quatro países para melhorar suas capacidades na realização de diagnósticos que detectam a COVID-19, segundo o anúncio.

A Argentina, em particular, terá 45 mil testes para determinar a presença da doença.

A união aduaneira contribuirá com outros US$ 5,8 milhões, e não está descartada a criação de um fundo adicional de US$ 10 milhões a mais para aprofundar essa iniciativa que aumentará a capacidade de diagnóstico das quatro nações.

O projeto também visa desenvolver um kit de teste de responsabilidade da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), do Brasil, e do Instituto Pasteur, do Uruguai, que já está trabalhando na fabricação de testes locais com a Universidade da República daquele país.

© Folhapress / Rodrigo Fonseca / Futura PressFuncionário higieniza ônibus do transporte coletivo de Curitiba (PR) como medida para evitar a propagação do coronavírus
Mercosul terá fundo de US$ 16 milhões para combate à COVID-19 nos países do bloco - Sputnik Brasil
Funcionário higieniza ônibus do transporte coletivo de Curitiba (PR) como medida para evitar a propagação do coronavírus

Nas duas instituições, uma técnica diagnóstica será investigada por meio de reações provocadas no soro sanguíneo, além da implementação de testes desse tipo para monitorar a evolução da pandemia.

"A chancelaria argentina promoveu esta iniciativa apresentada pelo diretor do projeto, Dr. Eduardo Arzt (Instituto de Pesquisa em Biomedicina de Buenos Aires) do Conselho Nacional de Pesquisa Científica e Técnica (Conicet), com o objetivo de ter elementos vitais para combater a pandemia", enfatizou o ministério.

Na Argentina, o projeto será executado pelo Instituto de Pesquisa em Biomedicina de Buenos Aires, sob a órbita do Conicet. No Brasil, se reportará à Fundação Fiocruz; no Paraguai, no Laboratório Central de Saúde Pública do Ministério da Saúde e no Centro de Desenvolvimento de Pesquisas Científicas; e no Uruguai, no Instituto Pasteur, em Montevidéu.

No final de 2019, a China relatou um surto de pneumonia na cidade de Wuhan, capital da província de Hubei, causada por uma nova cepa de coronavírus. De acordo com os dados mais recentes da Organização Mundial da Saúde (OMS), em seu relatório de sábado no mundo, existem 1.051.635 casos confirmados de contágio e 56.985 mortes.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала