Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para
 - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

PMs são condenados por assassinato de 5 jovens em carro no Rio com 63 tiros

© Folhapress / José Lucena / Futura PressViatura da Polícia Militar do Rio durante operação no Complexo do Alemão
Viatura da Polícia Militar do Rio durante operação no Complexo do Alemão - Sputnik Brasil
Nos siga no
PMs cariocas foram condenados pela chacina que vitimou jovens no bairro de Costa Barros, no Rio de Janeiro, em 2015.

Os policiais militares Antônio Carlos Gonçalves Filho e Marcio Darcy Alves dos Santos foram condenados neste sábado a 52 anos e seis meses de prisão por cinco homicídios duplamente qualificados, no âmbito do caso conhecido como chacina de Costa Barros, informou Agência Brasil.

Em 28 de novembro de 2015, cinco jovens foram mortos em um carro que foi atingido por 63 tiros no bairro de Costa Barros, na zona norte do Rio de Janeiro.
O assassinato praticado por PMs levou a vida de Wesley Castro Rodrigues, 25 anos, Roberto de Souza Penha, 16 anos, Wilton Esteves Domingos Júnior, 20 anos, e Cleiton Corrêa de Souza, 18 anos, e Carlos Eduardo Silva de Souza, de 16 anos.

Os cinco jovens eram amigos e residiam na zona norte do Rio de Janeiro. O grupo se reuniu para comemorar o emprego novo de Roberto, que havia recebido seu primeiro salário como ajudante em um supermercado carioca.

O Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro informou que o julgamento no II Tribunal do Júri durou mais de 20 horas e terminou às 2h da manhã deste sábado.

O policial militar Fabio Pizza Oliveira da Silva foi inocentado da mesma acusação. Segundo sua defesa, ele não participou do crime. A decisão será objeto de recurso do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro.

Outro PM, Thiago Resende Viana Barbosa, não chegou a ser julgado porque estava sem advogado. Seu julgamento será remarcado.

O PM Antônio Carlos Gonçalves Filho também foi condenado por fraude processual, e teve sua pena aumentada em oito meses e cinco dias. Na época do crime, os policiais disseram que foram atacados e trocaram tiros, versão que foi desmentida pela perícia.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала