Pentágono acusa China de 'intimidar e violar' regras no Indo-Pacífico

© AP Photo / Li Gang/XinhuaPorta-aviões chinês Liaoning realizando exercícios no mar do Sul da China acompanhado por fragatas e submarinos (foto de arquivo)
Porta-aviões chinês Liaoning realizando exercícios no mar do Sul da China acompanhado por fragatas e submarinos (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
As afirmações surgiram depois que o navio chinês Haiyang Dizhi 8, escoltado por diversas embarcações militares, entrou na zona econômica exclusiva reivindicada pelo Vietnã.

O Departamento do Estado dos EUA acusou a China de interferir nas atividades do Vietnã ao enviar um navio para prospeção de petróleo e gás no mar do Sul da China, além de realizar "esforços contínuos para violar a ordem internacional baseada nas regras" na região do Indo-Pacífico.

Um comunicado do Pentágono reitera que as ações chinesas contradizem a visão das autoridades norte-americanas da região como uma zona "livre e aberta", na qual "todas as nações, grandes e pequenas, estão seguras em sua soberania, livres de coerção e capazes de alcançar o crescimento econômico, conforme as regras e normas internacionais aceitas".

"A China não ganhará a confiança de seus vizinhos e o respeito da comunidade internacional mantendo suas táticas de 'intimidação', cita Washington, ressaltando que os EUA continuarão apoiando os esforços de seus aliados para 'garantir a liberdade de navegação e oportunidade econômica' na região".

Na última semana, o porta-voz do Departamento de Estado norte-americano, Morgan Ortagus, declarou que a ação da China representa uma "escalada por parte de Pequim em seus esforços para intimidar outros reclamantes no mar do Sul da China".

 

© AP Photo / Bullit MarquezCaça estadunidense decola do porta-aviões USS Ronald Reagan para patrulhar águas internacionais perto do mar do sul da China
Pentágono acusa China de 'intimidar e violar' regras no Indo-Pacífico - Sputnik Brasil
Caça estadunidense decola do porta-aviões USS Ronald Reagan para patrulhar águas internacionais perto do mar do sul da China

 

Já o Ministério das Relações Exteriores da China indicou que Washington estava "tentando dividir a região".

"O objetivo [dos EUA] é trazer o caos a esta situação e perturbar a paz regional e a estabilidade. A China se opõe totalmente a isso", reiterou o porta-voz da chancelaria chinesa, Geng Shuang, citado pela Reuters.

Há décadas que Pequim disputa a soberania de diversas ilhas localizadas no mar do Sul da China com outros países da região, dentre eles o Vietnã, Brunei, Malásia e Filipinas.

Pequim está construindo ilhas artificiais e desenvolvendo infraestrutura militar nos arquipélagos de Spratly e Paracelso para consolidar seu domínio sobre eles, enquanto isso, os norte-americanos seguem temendo a crescente influência da China na região.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала