Coalizão convoca greve em agosto contra a reeleição de Evo Morales

© Sputnik / Sergei Guneev / Abrir o banco de imagensEvo Morales, presidente da Bolívia, em Moscou
Evo Morales, presidente da Bolívia, em Moscou - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Uma coalizão boliviana, chefiada pelo reitor da universidade pública de La Paz, Waldo Albarracín, convocou uma greve nacional para o dia 21 de agosto e uma greve indefinida a partir de 10 de outubro, como ações para impedir a reeleição do presidente Evo Morales.

"Se houver eleições, que sejam limpas, com um tribunal eleitoral imparcial, não estamos interessados em eleições manipuladas, mas planejando uma mobilização para defender a democracia como um direito desse povo", disse Albarracín em entrevista coletiva.

A convocação das greves surgiu no dia seguinte a uma pesquisa que colocou Morales e seu vice-presidente Álvaro García bem próximo de conquistar a terceira reeleição consecutiva nas eleições convocadas para o dia 20 de outubro.

Albarracín disse que os candidatos da oposição qualificados para essas eleições devem se unir à mobilização.

A resolução aprovada pela coalizão afirma que a greve de 21 de agosto será "em defesa dos resultados do 21F", referindo-se ao referendo de 21 de fevereiro de 2016, que rejeitou por pouquíssima margem a reeleição indefinida.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала