General venezuelano: Caracas considera Moscou aliada-chave na luta contra ataques híbridos

© Sputnik / Mikhail Alaeddin / Abrir o banco de imagensCaixas de medicamentos e equipamentos médicos doados pela Rússia à Venezuela no aeroporto de Caracas
Caixas de medicamentos e equipamentos médicos doados pela Rússia à Venezuela no aeroporto de Caracas - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O general Pasqualino Angiolillo Fernández, afirmou que a Venezuela considera a Rússia o principal país aliado nos esforços para combater o atual conflito híbrido.

"Quero observar que, regra geral, os países alvo de ataques híbridos são aqueles onde certas hegemonias ou países grandes e influentes têm alguns interesses. A Venezuela é um desses países, pois sua riqueza e seus recursos são de interesse para outras nações", destacou o general à margem de um fórum de segurança na cidade russa de Ufa.

Ao ser questionado se Moscou compartilhava sua experiência quanto a ameaças híbridas com Caracas, Fernández afirmou que claramente a "Rússia está envolvida".

"A Rússia é uma aliada importante para a Venezuela e, como estamos apelando para uma abordagem multipolar, essa abordagem nos permite ter muitos aliados", complementou.

Tensões constantes

O governo de Maduro vem acusando a Casa Branca de prestar ajuda à oposição e organizar uma campanha para sabotar a infraestrutura elétrica da Venezuela, causando uma enorme escassez de alimentos, água e assistência médica.

Washington também tentou entregar "ajuda humanitária" à Venezuela através da Colômbia, mas esses esforços foram reprovados pelos críticos como um meio de exercer pressão sobre Maduro e aumentar a dissidência entre as Forças Armadas bolivarianas.

As tensões entre os Estados Unidos e a Venezuela pioraram depois que Washington apoiou abertamente o líder da oposição venezuelana, Juan Guaidó, que se autoproclamou "presidente interino" na tentativa de destituir o atual presidente Nicolás Maduro.

Enquanto os EUA e seus aliados reconhecem Guaidó como líder venezuelano, outros países, como Rússia, China e Turquia continuam considerando Maduro como o único presidente venezuelano legítimo.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала