Argentina se interessa em material russo para foguete lançador e em cooperar com Rússia no espaço

© Sputnik / Sergei MamontovLançamento da nave espacial
Lançamento da nave espacial - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Argentina está interessada em materiais, componentes e serviços russos para foguete lançador de satélites Tronador, disse Stanislav Makarchuk, responsável pela cooperação espacial com a Rússia da Comissão Nacional de Atividades Espaciais da Argentina (CONAE), em entrevista à Sputnik.

"Um tema interessante é o projeto Tronador, que é um projeto de foguete lançador argentino para pôr em órbita pequenos satélites de até 750 quilos. Estamos interessados em receber as propostas para analisá-las tecnicamente se podem ser utilizadas no nosso projeto Tronador. Estamos falando de materiais, componentes e serviços russos", disse ele.

Makarchuk acrescentou que os serviços "podem ser de assessoria", destacando que "a Rússia tem experiência no desenvolvimento de foguetes lançadores e, para nós, esse tema é de grande interesse também".

Cosmódromo de Baikonur, Cazaquistão - Sputnik Brasil
Relatos: Pentágono proibirá cooperação com Rússia nos lançamentos espaciais
Segundo Makarchuk, a estatal Veng, controlada pela CONAE, trabalha com a corporação estatal russa Rosatom no âmbito de fornecimento de fibra de carbono, estando as partes dispostas a assinar um memorando de entendimento para a cooperação no domínio do estudo de materiais para o setor espacial e de baterias para satélites.

Makarchuk também acrescentou que a Argentina oferece à Rússia cooperação na exploração do espaço distante através da instalação de estações de antenas. Na Argentina estão localizadas duas dessas estações, uma das quais é a Agência Espacial Europeia em Malargue para apoiar missões em todo o Sistema Solar, enquanto a outra apoia o programa de exploração lunar da China.

A aeronave da empresa American Airlines - Sputnik Brasil
EUA proíbem companhias aéreas de sobrevoar espaço aéreo venezuelano
"Esta segunda estação, localizada na província de Neuquén, permitiu que a China alcançasse o lado oculto da Lua. Estamos agora trabalhando para permitir que a China realize a próxima missão Chang E-5, que é voar até a Lua, coletar amostras e retornar à Terra", disse Makarchuk.

"Outro tema, que pode vir a ser interessante para Rússia, é a cooperação para estudo do espaço profundo através da instalação de estações especiais [antenas]. Já realizámos consultas com especialistas. A Rússia tem bons contatos com o Instituto de Investigação Espacial, que participa no projeto ExoMars com a Agência Espacial Europeia, e discutimos o possível interesse da Rússia no projeto de antena para espaço distante", acrescentou.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала