Combate aéreo muda dramaticamente com drone auxiliar do F-35

CC0 / Pixabay / Caça F-35
Caça F-35 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Um projeto para elaboração da ligação entre o drone e o piloto do caça, ao qual vai ajudar durante a missão, está sendo desenvolvido no âmbito do programa de protótipos Skyborg, revela a Força Aérea dos EUA.

O estabelecimento da ligação entre o drone e o piloto de caça, em particular de F-35 e F-15EX, visa prestar ajuda ao piloto durante a missão de combate e pode oferecer novas opções no combate aéreo, revela a Força Aérea norte-americana, escreveu o portal Defense News.

Cabine de pilotagem do caça norte-americano F-35C Lightning II - Sputnik Brasil
Caças F-35 sobem pela 1ª vez ao céu da Dinamarca deixando rastro de desgosto (FOTOS, VÍDEO)
Os caças F-35 e F-15EX poderão ser emparelhados com um drone auxiliar no futuro próximo. Segundo o relatório, está planejado agrupar os aviões militares com o drone furtivo Kratos XQ-58 Valkyrie ou aeronaves semelhantes, informou o portal Defense News citando o chefe da Força Aérea responsável pela aquisição, tecnologia e logística, Will Roper.

Ele destaca que agora o assunto está sendo discutido com duas corporações aeronáuticas.

"Estou muito apaixonado pelo assunto e o F-35 tem uma oportunidade maravilhosa para fazer isso como parte do Bloco 4 [etapa de modernização do F-35]. Também poderemos ter oportunidade de o fazer como parte do F-15EX", disse ele comentando o programa de modernização.

Neste mês ele já tinha revelado que o drone furtivo Kratos XQ-58 Valkyrie seria equipado com novos sensores e carga útil, assim como com a conexão a caças tripulados no âmbito do programa Skyborg.

As novas tecnologias relacionadas ao projeto são um efeito do desenvolvimento de inteligência artificial que pode aprender com o piloto ou ficar ligada em rede como uma espécie de robô R2-D2 do filme Guerra nas Estrelas, opina o alto responsável.

O drone furtivo XQ-58A Valkyrie tem uma série de vantagens e uma delas é seu preço baixo, uns dois milhões de dólares, muito menos que os US$ 80 milhões (R$ 323 milhões) que custa cada avião. Além disso, o veículo aéreo não tripulado tem um raio de ação de cerca de 3.000 quilômetros e pode ser armado com duas bombas pequenas ou um radar.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала