Forças da Índia apreendem estoque de armas e munições chinesas na Caxemira

© AP Photo / Dar YasinAn Indian paramilitary soldier stands guard during a curfew in Srinagar, Indian controlled Kashmir, Friday, June 9, 2017
An Indian paramilitary soldier stands guard during a curfew in Srinagar, Indian controlled Kashmir, Friday, June 9, 2017 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
As forças indianas recuperaram um considerável estoque de armas e munições - todas com marcas chinesas - na Caxemira, onde houve um aumento recente nos ataques terroristas envolvendo granadas de fragmentação, informou a mídia local.

Cerca de 70 granadas chinesas foram apreendidas pelas forças de segurança indianas no conturbado estado de Jammu e Caxemira desde janeiro do ano passado, segundo o jornal Hindustan Times, citando um relatório interno do governo.

A publicação veio depois que uma série de novos atos terroristas atingiu a parte indiana da Caxemira.

"Esses ataques tiveram uma mistura de ambas as granadas feitas na China e no Paquistão, mas há um surto súbito no uso das chinesas", declarou um oficial não identificado de uma equipe de contraterrorismo da polícia, citado pelo jornal.

Granadas de fragmentação são mais fáceis de transportar e causam muito mais dano se lançadas à distância, explicou ele.

As apreensões também incluíram pistolas, projéteis incendiários perfurantes e rastros de origem chinesa. A munição perfuradora pode penetrar em coletes à prova de balas usados pelas tropas indianas e seu uso "traz uma nova dimensão de ameaça para as forças de segurança", alertou o documento.

Soldados das tropas paramilitares indianas patrulham perto de mesquita Jamia Masjid, Srinagar, Jammu e Caxemira, Índia, 12 de julho de 2016 - Sputnik Brasil
Terroristas são mortos em confronto com forças indianas na Caxemira

O jornal citou amplamente oficiais de polícia que afirmavam que o principal objetivo de usar munição fabricada na China é que o Paquistão, que a Índia culpa por ajudar os militantes da Caxemira, "não quer que nenhuma arma usada em Jammu e Caxemira seja rastreada".

Separadamente, um oficial de inteligência não identificado sugeriu que a munição fabricada na China poderia ter sido contrabandeada através da Linha de Controle, que é uma fronteira fortemente militarizada que divide as partes paquistanesa e indiana da Caxemira. No entanto, nenhuma dessas fontes deu qualquer prova credível de tais alegações.

Se for verdade, a revelação pode atingir um nervo na Índia, que é altamente sensível a quaisquer questões relacionadas à área contestada da Caxemira. A Índia está há muito tempo em desacordo com a China sobre seu apoio ao arquirrival Paquistão, cujos laços estreitos com Pequim são vistos como um contrapeso a Nova Déli.

A China tem sido uma fonte constante de equipamento militar para o Exército paquistanês há décadas. Recentemente, os militares do Paquistão instalaram sistemas de defesa aérea e radares fabricados na China para cobrir o espaço aéreo na fronteira com a Índia. Notavelmente, aviões de combate chineses foram pilotados pela Força Aérea do Paquistão durante um confronto mortal em Caxemira em fevereiro, de acordo com relatórios indianos.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала