EUA indicam manutenção de sanções às vésperas de encontro entre Trump e Kim

© AP Photo / Susan WalshLíder norte-coreano, Kim Jong-un, e o presidente estadunidense, Donald Trump, posam para os fotógrafos após a assinatura do documento conjunto na cúpula histórica em Singapura, em 12 de junho de 2018
Líder norte-coreano, Kim Jong-un, e o presidente estadunidense, Donald Trump, posam para os fotógrafos após a assinatura do documento conjunto na cúpula histórica em Singapura, em 12 de junho de 2018 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Os EUA não estão prontos para suspender quaisquer sanções contra a Coreia do Norte, anunciou o Departamento de Estado, assim como o presidente Donald Trump disse que está "sem pressa" para buscar um compromisso antes de sua "emocionante" cúpula com Kim Jong-un na próxima semana.

"Temos sido claros sobre sanções. Essas são as sanções do mundo e isso é algo […] que continuará a ser mantido até que tenhamos alcançado o resultado final da desnuclearização completa e finalmente confirmada", declarou a repórteres o porta-voz do Departamento de Estado, Robert Palladino.

Líder norte-coreano, Kim Jong-un, e o presidente dos EUA, Donald Trump - Sputnik Brasil
Trump diz que Obama considerou entrar em guerra com Coreia do Norte

Apesar das negociações muito elogiadas, parece que as sanções vão permanecer indefinidamente, como o próprio Trump confessou estar "sem pressa" para chegar a qualquer compromisso.

"Não há testes. Enquanto não houver testes, não tenho pressa. Se houver testes, esse é outro acordo", disse ele no Salão Oval na terça-feira. "Eu gostaria apenas de ver a desnuclearização da Coreia do Norte".

O líder norte-americano repetidamente elogiou a si mesmo por "evitar" uma guerra com Pyongyang, tudo graças a sua política de pressão máxima de sanções econômicas e isolamento diplomático, misturada com retórica e ameaças extremamente agressivas em relação à Coreia do Norte.

Depois de sua primeira reunião frente a frente em Singapura em junho passado, depois de uma histórica cúpula inter-coreana e das conversas de Kim com Xi Jinping na China, os líderes norte-americanos e norte-coreanos concordaram em trabalhar para a desnuclearização da península em troca do alívio de sanções e garantias de segurança.

Nesta foto sem data que foi divulgada pela Agência Central de Notícias da Coreia do Norte em Pyongyang no dia 7 de Março de 2017, o líder da Coreia do Norte Kim Jong-un supervisou o lançamento de mísseis balísticos das unidades da artilharia de Hwasong das Forças Estratégicas do Exercito Popular da Coreia - Sputnik Brasil
Coreia do Norte não abrirá mão das armas de destruição em massa, diz oficial do Pentágono

Embora Pyongyang tenha parado de testar mísseis balísticos ou bombas nucleares, os americanos continuam insistindo que o programa nuclear do país deve ser totalmente desmantelado antes que eles cumpram sua parte do acordo.

Com o progresso estagnado desde a primeira cúpula, o representante especial dos EUA, Stephen Biegun, viajou para Hanói, no Vietnã, na terça-feira, tentando descobrir "resultados concretos" de última hora que podem ser apresentados à comunidade internacional como mais uma vitória exemplar de Trump na política estrangeira.

"Eu acho que a próxima semana vai ser muito emocionante", afirmou Trump, sem elaborar. "Eu acho que muitas coisas vão sair disso".

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала