Alemanha propõe à Rússia posicionar mísseis na parte oriental do país

© Sputnik / Vladimir Astapkovich / Abrir o banco de imagensMíssil modernizado 9М729 apresentado pelo Ministério da Defesa russo no pavilhão de exibição Patriot, nos arredores de Moscou
Míssil modernizado 9М729 apresentado pelo Ministério da Defesa russo no pavilhão de exibição Patriot, nos arredores de Moscou - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O Bundestag (parlamento alemão) propôs à Rússia posicionar os novos mísseis 9М729 do outro lado dos Urais, na parte oriental do país, já que tal decisão ajudará a salvar o Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF, na sigla em inglês), escreveu a edição Frankfurter Allgemeine.

Segundo o parlamentar alemão Roderick Kizevetter, o posicionamento do novo armamento do outro lado dos Urais, ou seja, mais longe da fronteira ocidental russa, faria com que a Europa ficasse fora do raio de alcance dos mísseis 9М729, o que defenderia a Europa da ameaça de uma nova corrida armamentista.

O parlamentar assinalou que, devido ao sólido escudo antimíssil da OTAN, a Rússia está preocupada por não conseguir lançar um ataque de retaliação a tempo.
Kizevetter afirmou que o posicionamento dos 9М729 exige um rigoroso monitoramento, já que esses mísseis podem ser deslocados em uma noite para a parte ocidental da Rússia em transporte ferroviário ou rodoviário.

"De certa forma, perto de cada lançador deve estar um observador", cita as suas palavras a edição.

Além disso, o político alemão ressaltou que, na qualidade de medida de resposta, os EUA poderiam permitir à Rússia inspecionar os mísseis interceptores na Romênia.

Bandeiras da Rússia e dos EUA - Sputnik Brasil
'Golpe sobre sistema de controle de armas': EUA notificam Rússia sobre saída do INF
Entretanto, as opiniões de membros do Bundestag divergem em relação aos mísseis russos na parte ocidental do país. O Partido Social-Democrata da Alemanha considera impossível o posicionamento adicional de mísseis de médio alcance, mas a União Democrata-Cristã não exclui tal cenário.

Em 2 de fevereiro, os EUA notificaram oficialmente sobre a suspensão de sua participação no tratado bilateral INF e sobre o início do procedimento de saída. O presidente russo, Vladimir Putin, declarou que a resposta de Moscou à decisão dos EUA será proporcional: a Rússia irá suspender a sua participação do tratado.

O Tratado INF, assinado por Washington e Moscou em 1987, não tem data de expiração e proíbe as partes de terem mísseis balísticos terrestres ou mísseis de cruzeiro com alcance entre 500 e 5.500 quilômetros.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала