- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Diplomata militar da Venezuela nos EUA diz não reconhecer governo Maduro

© AP Photo / Ariana CubillosO presidente venezuelano, Nicolás Maduro
O presidente venezuelano, Nicolás Maduro - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O Coronel José Luís Silva, um adido militar na embaixada venezuelana em Washington, disse neste sábado (26) a um jornal dos EUA de língua espanhola, o El Nuevo Herald, que ele não reconhece Nicolás Maduro como presidente da Venezuela.

"Enquanto adido venezuelano de Defesa nos Estados Unidos, eu não reconheço o Sr. Nicolás Maduro como o presidente da Venezuela […]. Minha mensagem a todos os membros das Forças Armadas, a todos que carregam uma arma, é para, por favor, não machucarem o povo, e que já estamos cheios de apoiar um governo que traiu os princípios mais básicos e se vendeu para outros países", disse Silva.

Embaixador da Rússia na ONU, Vassily Nebenzia, fala durante um encontro do Consleho de Segurança da ONU, em 18 de Abril de 2018. - Sputnik Brasil
'Absurdo': na ONU, Rússia questiona ultimato europeu à Venezuela
Na terça-feira (22), a situação política na Venezuela, que tem assistido a protestos de massa desde o começo da semana, se agravou. Isso porque a Assembleia Nacional venezuelana declarou o presidente Nicolás Maduro um usurpador.

No dia seguinte, o líder parlamentar Juan Guaidó se autoproclamou presidente interino da Venezuela, recebendo apoio de países como Estados Unidos, Brasil, Chile, Colômbia e Argentina.

Maduro venceu as últimas eleições presidenciais no país e assumiu seu segundo mandato em na primeira quinzena de janeiro. Seu mandato é apoiado pela Rússia, China, Uruguai, Cuba, Bolívia e outros países.

Maduro acusa os Estados Unidos de orquestrarem um golpe de Estado na Venezuela, e cortou relações diplomáticas com os norte-americanos. O presidente venezuelano também determinou que os diplomatas dos EUA deixem o país em até 72 horas, o que Washington se recursou a fazer.

A Rússia afirmou oficialmente que apenas reconhece Maduro como o presidente legitimamente eleito da Venezuela, alertando contra qualquer tipo de interferência ou intervenção.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала