Líder Trabalhista revela estratégia para remover Theresa May e mudar curso do Brexit

© AFP 2022 / John Thys, Paul EllisUma combinação de imagens mostra que a primeira ministra britânica e a líder do Partido Conservador, Theresa May em conferência de imprensa durante uma Cúpula Europeia na sede da UE em Bruxelas em 9 de março de 2017, e a principal oposição britânica, o trabalhista, Jeremy Corbyn, falando no quarto dia da conferência anual do Partido Trabalhista em Liverpool, noroeste da Inglaterra em 28 de setembro de 2016.
Uma combinação de imagens mostra que a primeira ministra britânica e a líder do Partido Conservador, Theresa May em conferência de imprensa durante uma Cúpula Europeia na sede da UE em Bruxelas em 9 de março de 2017, e a principal oposição britânica, o trabalhista, Jeremy Corbyn, falando no quarto dia da conferência anual do Partido Trabalhista em Liverpool, noroeste da Inglaterra em 28 de setembro de 2016. - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Líder do Partido Trabalhista do Reino Unido, o parlamentar Jeremy Corbyn prometeu hoje que tentará todo o possível para evitar um Brexit sem acordo com a União Europeia. O opositor prometeu mover uma moção de desconfiança que force uma nova eleição.

Contrário às demandas dos partidários, Corbyn prometeu tentar um novo acordo com a União Europeia caso fosse eleito o novo premiê do Reino Unido, negando a possibilidade imediata de um novo referendo. Ele, porém, disse que consideraria a questão caso não conseguisse forçar uma eleição geral

Brexit - Sputnik Brasil
Pesquisa: Maioria dos Conservadores britânicos não está disposta a apoiar acordo do Brexit
À BBC, o Trabalhista disse que gostaria de manter uma união aduaneira com a UE "que nos dê voz no processo decisório mas que também evite os problemas ligados à Irlanda do Norte". O bloco europeu é o avalizador da paz entre as Irlandas, já que permitiu a livre circulação e o fim de uma fronteira física entre as duas porções da ilha, encerrando em 1998 uma disputa nacionalista que durava quase 80 anos.

Enquanto isso, a primeira-ministra Theresa May alertou parlamentares que não aprovar o acordo que ela conseguiu obter com Bruxelas poderia significar permanecer na UE no fim das contas. Ela defendeu que rejeitar o acordo seria desrespeitar o resultado do referendo realizado em 2016, "uma catastrófica e imperdoável quebra da confiança na nossa democracia". May também criticou Corbyn, acusando-o de estar "mais preocupado com ganhos políticos do que em agir nos interesses do país".

A votação do acordo de May pelo Parlamento acontece na próxima terça-feira (15). Independente do resultado, a saída do Reino Unido da UE está agendado para 29 de março. Especialistas alertam que sair do bloco sem acordo colocaria a economia britânica em recessão.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала