'Coletes amarelos' fazem nova rodada de protestos na França

© Sputnik / Julien Matia / Abrir o banco de imagens"Coletes amarelos" em Paris, no sábado (12).
Coletes amarelos em Paris, no sábado (12). - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Milhares de "coletes amarelos" estão nas ruas da França neste sábado (12) em protestos contra o presidente Emmanuel Macron, acusado de ignorar as dificuldades da população média.

As autoridades prometeram tolerância zero com a violência que marcou os protestos semanais desde que eles começaram há dois meses. 80 mil oficiais de segurança foram mobilizados em todo país.

Em Paris, epicentro dos fulminantes confrontos de rua e vandalismo que ganharam as manchetes globais, 5.000 policiais da tropa de choque estavam à disposição, usando barricadas e veículos blindados para trancar a Place de la Concorde e os distritos vizinhos.

Centenas de oficiais também estavam em guarda nos Champs-Elysées, onde bancos, joalherias e outras lojas haviam fechado as janelas em antecipação a novos saques e violência.

No entanto, muitos cafés e varejistas da icônica avenida permaneceram abertos para negócios, enquanto vários milhares de manifestantes marcharam calmamente da Place de la Bastille em direção ao Arco do Triunfo.

Édouard Philippe - Sputnik Brasil
'Coletes amarelos': França anuncia endurecimento de leis sobre protestos
Muitos cantaram o hino nacional, enquanto outros tinham cartazes dizendo "A insegurança não é um trabalho!"

Às vezes a multidão gritava "Free Christophe!" em referência a Christophe Dettinger, o ex-boxeador profissional preso na semana passada depois de ser filmado atacando dois policiais durante as demonstrações de Paris.

A polícia informou que cerca de 30 pessoas foram detidas na capital por transportar armas ou outras acusações.

"Viemos a Paris para nos fazer ouvir e queríamos ver, pelo menos uma vez, o que está acontecendo aqui", disse Patrick, 37, que disse à AFP ter vindo da região de Savoie, no oeste da França.

Na cidade de Chantilly, ao norte de Paris, cerca de mil manifestantes marcharam pelo centro antes de descer no hipódromo, onde atrasaram o início de uma corrida, informou a mídia local.

Primeiro-ministro húngaro Viktor Orban ao lado de Jair Bolsonaro e da primeira-dama, Michelle Bolsonaro - Sputnik Brasil
Aliado de Bolsonaro, líder da Hungria promete 'combater' Macron na UE
E outros 1.200 manifestantes se reuniram na cidade central de Bourges, onde alguns organizadores de coletes amarelos esperavam aqueles de áreas distantes da capital.

Placas diziam "Macron renuncie!" e "a França está zangada".

Os protestos também se espalharam pela fronteira para o leste da Bélgica na noite de sexta-feira, quando um dos cerca de 25 manifestantes que participaram de um bloqueio morreu após ser atingido por um caminhão, informou a imprensa belga.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала