Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Fonte indica objetivo da proibição de entrada de homens russos na Ucrânia

© AP Photo / Inna VarenytsiaA bandeira nacional da Ucrânia na fronteira russo-ucraniana
A bandeira nacional da Ucrânia na fronteira russo-ucraniana - Sputnik Brasil
Nos siga no
A Ucrânia impôs limitações à entrada no país de homens russos entre 16 e 60 anos de idade para impressionar o Ocidente, comunicou o canal RT, citando uma fonte do Bloco de Pyotr Poroshenko, partido político liderado pelo presidente ucraniano.

Segundo a fonte do RT, a possibilidade de proibição estava sendo planejada há muito tempo, mas até agora não tinha havido unanimidade, visto que essa iniciativa "encerra demasiados riscos", na opinião dele.

O interlocutor do canal assinalou também que não havia qualquer fundamento para tal restrição e que ela "visou mais impressionar os parceiros ocidentais e pedir o reforço das sanções contra a Rússia".

Posto de controle Armyansk na fronteira russo-ucraniana (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Ucrânia limita entrada no país de homens russos entre 16 e 60 anos
O porta-voz do Serviço da Guarda de Fronteiras da Ucrânia, Andrei Demchenko, declarou, por sua vez, que todos os estrangeiros que entram no país, inclusive os russos, são sujeitos a uma entrevista individual.

"Estabelecemos os grupos de risco, os quais podem estar envolvidos em acontecimentos desestabilizadores no território ucraniano", comentou Demchenko, acrescentando que, para tal, são verificadas as viagens anteriores destas pessoas à Ucrânia e se houve antes violações das leis ucranianas.

As autoridades ucranianas começaram desde segunda-feira (26) a impedir a travessia da fronteira aos cidadãos russos. Na sexta-feira, o presidente ucraniano Pyotr Poroshenko declarou que a Ucrânia impôs limitações à entrada de cidadãos da Federação da Rússia do sexo masculino entre 16 e 60 anos. O número de pessoas que foram "mandadas para trás" na fronteira russo-ucraniana nos últimos dias ultrapassou 140.

A representante oficial do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, chamou a decisão das autoridades ucranianas de "disfunção do Estado". O senador russo Frants Klintsevich afirmou que a Rússia não vai introduzir limitações semelhantes à entrada de cidadãos ucranianos do sexo masculino.

Incidente no estreito de Kerch

Na segunda-feira (26), o parlamento ucraniano aprovou a introdução da lei marcial em algumas regiões do país por 30 dias. A medida foi tomada na sequência do incidente no estreito de Kerch, quando três navios ucranianos atravessaram a fronteira marítima da Rússia, violando o direito internacional.

Lancha canhoneira blindada Nikopol e rebocador Yany Kapu (em fundo) da Marinha da Ucrânia detidos no porto de Kerch - Sputnik Brasil
Marinha ucraniana explica para que enviou navios de guerra ao estreito de Kerch
Foi tomada a decisão de usar armas e deter os navios ucranianos. Durante o incidente, três militares ucranianos ficaram levemente feridos sem correr risco de vida. Navios ucranianos e 24 marinheiros foram detidos. A Rússia abriu um processo criminal por violação fronteiriça.

Para o presidente russo, Vladimir Putin, o incidente foi organizado por Kiev devido à situação política interna nas vésperas das eleições.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала