Ex-presidente do Peru é impedido de deixar o país pela justiça

Nos siga noTelegram
Um juiz peruano decidiu neste sábado proibir o ex-presidente do país, Alan García, de deixar o país por 18 meses, enquanto dura a investigação de suposto caso de corrupção envolvendo a brasileira Odebrecht.

O ex-mandatário, que governou o Peru duas vezes (1985-1990 e 2006-2011), não compareceu à audiência judicial em que o promotor José Pérez defendeu o pedido para impedir que García saísse do país sul-americano.

Ollanta Humala - Sputnik Brasil
Ex-presidente do Peru deverá pedir asilo político
García, que vive principalmente na Espanha, chegou a Lima na quinta-feira para testemunhar perante o promotor Pérez no âmbito de uma investigação sobre alegadas irregularidades uma obra da Odebrecht, mas a audiência foi adiada pelo magistrado.

O promotor disse durante a audiência de sábado que a Odebrecht teria pago US$ 100 mil a Garcia por se apresentar em conferências, e que essa seria uma forma encontrada pela empresa de pagar por serviços políticos.

García confirmou que já realizou diversas conferências no mundo todo, na qualidade de ex-presidente, mas rejeitou as acusações de que uma apresentação feita para um grupo de empresários no Brasil foi paga pela Odebrecht.

O caso de suborno envolvendo a Odebrecht afetou os últimos quatro presidentes do Peru. Os ex-mandatários Ollanta Humala e Pedro Pablo Kuczynski estão enfrentando investigações no país, enquanto Alejandro Toledo enfrenta um processo de extradição nos Estados Unidos.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала