'Idiotas': Duterte volta a atacar tribunal que questiona sua letal guerra contra as drogas

© REUTERSPresidente das Filipinas Rodrigo Duterte
Presidente das Filipinas Rodrigo Duterte - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O Tribunal Penal Internacional (ICC, na sigla em inglês) é composto por "idiotas", afirmou o polêmico presidente filipino Rodrigo Duterte, lançando outro ataque à Corte, que tem como alvo a sua "guerra às drogas".

Falando em Papua Nova Guiné na última sexta-feira, o presidente das Filipinas se recusou a reconhecer a autoridade do ICC, acrescentando que é uma mera "criação" da União Europeia (UE), com fome de espalhar sua "governança internacional".

Navios chineses nas águas do recife de Mischief no arquipélago disputado de Spartly no mar do Sul da China - Sputnik Brasil
Duterte declara que mar do Sul da China está agora nas 'mãos de Pequim'

"Então, por que eu me permitiria ser julgado por alguns seres humanos idiotas neste mundo?", provocou.

Duterte tem estado por muito tempo no radar de grupos de direitos humanos e do ICC por sua controvertida operação antidrogas, na qual 4.000 supostos traficantes de drogas foram mortos.

No entanto, um relatório apresentado ao ICC disse que o número de mortos é superior aos 8.000 cidadãos, fato que provocou uma investigação preliminar contra o presidente e funcionários de alto perfil das Filipinas por "crimes contra a humanidade".

Como de costume, Duterte não mediu as palavras.

"[Dizem que Duterte] é um monstro. Então, não estou incluído nos direitos humanos. Encontre um tribunal para os monstros", declarou a um público filipino, referindo-se às alegações do grupo de direitos humanos contra ele.

Presidente das Filipinas Rodrigo Duterte - Sputnik Brasil
Duterte: meus críticos estrangeiros dariam bons alvos humanos às tropas filipinas

O presidente filipino usou repetidamente uma linguagem forte ao falar sobre a investigação do ICC e os juízes. Em outubro, ele disse que não havia como se curvar a ele e ameaçou "dar um tapa em todos vocês juízes".

Em outro alerta para seus críticos estrangeiros, o homem forte das Filipinas disse que eles podem acabar sendo "alvos humanos vivos" se eles se atreverem a vir ao seu país e trazer suas acusações.

Em março, Manila anunciou sua retirada do Estatuto de Roma, o tratado fundador do ICC. Duterte chegou a ameaçar prender a promotora do ICC, Fatou Bensouda, ressaltando que o órgão não tem autoridade sobre as Filipinas, uma vez que o país não é mais seu membro.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала