Analista chama de utópica a ideia de criar exército europeu

© AFP 2022 / SEBASTIEN BOZON / Abrir o banco de imagensSoldados do exército francês durante exercício militar
Soldados do exército francês durante exercício militar - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A ideia da União Europeia de criar suas próprias Forças Armadas é uma utopia, declarou o chefe do centro das pesquisas geopolíticas Eurocontinent, Pierre-Emmanuel Thomann.

O presidente francês Emmanuel Macron propôs criar um "verdadeiro exército europeu" para proteger a Europa "da China, Rússia e até dos Estados Unidos da América". A ideia foi apoiada pela chanceler da Alemanha, Angela Merkel.

"A ideia de exército europeu é uma utopia porque os europeus nunca chegarão ao acordo sobre comando integrado. Particularmente, porque a França tem armas nucleares, mas a Alemanha — não. A França, ao contrário da Alemanha, também é membro permanente do Conselho de Segurança das Nações Unidas", comentou à Sputnik o especialista.

Marine Le Pen, líder do partido de extrema direita francês Frente Nacional - Sputnik Brasil
Macron quer 'exército europeu' para compartilhar armas nucleares com Merkel, diz Le Pen
Segundo ele, os dois países têm interesses geopolíticos diferentes. "A França realmente gostaria de ver os países da UE cooperarem na esfera militar como Estados soberanos sob sua liderança, já a declaração de Macron sobre o exército europeu deveria ser vista como um slogan político na corrida para as eleições ao Parlamento Europeu em maio de 2019. Ela não reflete a verdadeira posição francesa" destacou Thomann.

O analista opina que o presidente francês aposta em realizar operações militares conjuntas com a UE, visto que "Paris quer ser capaz de agir na região do Mediterrâneo, no Oriente Médio e na África". Macron queria ter apóio dos europeus para se defender da ameaça crítica do flanco sul, em particular, do terrorismo islâmico, enquanto o flanco oriental da Europa está em segundo lugar, ressaltou o geopolítico.

De acordo com ele, Berlim "está preocupada com o flanco oriental da Europa". "Para a Alemanha, que sempre foi membro da OTAN, o exército europeu é um pilar da Aliança, por isso Berlim segue em maior grau os interesses geopolíticos dos EUA para garantir um contrapeso à Rússia", opina Thomann.

Angela Merkel e Emmanuel Macron. - Sputnik Brasil
Ideia de exército europeu de Macron indica 'fratura emergente na OTAN', diz político turco
Por essa razão a Alemanha tem como prioridade a concepção da Cooperação Estruturada Permanente (PESCO, na sigla em inglês) para realizar projetos conjuntos, mas em sinergia com a OTAN, já que Berlim olha com cuidado para a ideia de Macron sobre uma estrutura independente da União Europeia e da organização, considera o analista.

"Os alemães não estão interessados em defender os interesses da França na região do Mediterrâneo e na África", disse à Sputnik Thomann.

Em 2017, a União Europeia aprovou o documento sobre o lançamento da Cooperação Estruturada Permanente (PESCO) para aprofundar a cooperação no domínio da defesa. O PESCO permite elaborar conjuntamente forças e meios militares e realizar operações na esfera da defesa e segurança. Vinte e cinco países, inclusive os que não são membros da OTAN, expressaram a intenção de começar a implementação do PESCO. Em junho de 2018, nove países europeus assinaram o protocolo sobre a criação de forças europeias de reação imediata.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала