Eleições em Donbass minam 'soberania da Ucrânia', afirmam Macron e Merkel

© AP Photo / Michel Euler O presidente da França, Emmanuel Macron, e a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, participaram da inauguração de uma placa para a reconciliação entre os dois países.
O presidente da França, Emmanuel Macron, e a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, participaram da inauguração de uma placa para a reconciliação entre os dois países. - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
As eleições deste domingo (12) nas autoproclamadas repúblicas populares de Donetsk e Luhansk estão minando a soberania e integridade territorial da Ucrânia afirmaram o presidente da França, Emmanuel Macron, e a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, em comunicado conjunto.

O pleito teve uma taxa de comparecimento de 80,1% em Donetsk e 77% Luhansk. 

"Realizar essas chamadas eleições está minando a integridade territorial e a soberania da Ucrânia." O comunicado também diz que a votação é "ilegítima e ilegal" e que ela "não está de acordo com o espírito dos Acordos de Minsk e com a declaração de chefes de Estado e de governo dos países do Quarteto da Normandia."

O líder interino da autoproclamada República Popular de Donetsk (RPD), Denis Pushilin, vota durante as eleições na República - Sputnik Brasil
Repúblicas autoproclamadas de Donetsk e Lugansk escolhem novos líderes e deputados
Merkel e Macron destacaram que as eleições nos territórios, que são controlados pela milícia de Donbass, devem ser realizadas de acordo com os acordos de Minsk, os padrões da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) e a legislação ucraniana.

As autoridades ucranianas já disseram que não reconhecerão os resultados das eleições, enquanto o Kremlin apontou que a votação não seria uma violação dos acordos de Minsk.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала