Sanções aplicadas à Rússia acarretam consequência imprevisível, diz ex-líder francês

© Sputnik / Aleksandr Demyanchuk / Abrir o banco de imagensRublos e yuans
Rublos e yuans - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
As sanções impostas à Rússia causaram "um efeito inesperado", fazendo com que Moscou se distancie da Europa e se aproxime de Pequim, afirmou o ex-presidente francês Nicolas Sarkozy à edição Point.

O ex-líder acredita que as sanções aplicadas contra Moscou são contraproducentes e não correspondem aos interesses da Europa, sendo impostas pelo presidente americano Donald Trump.

Para Sarkozy, as restrições econômicas contra Moscou se limitam a "fazer tudo para empurrar a Rússia para os braços da China".

Um homem remove a bandeira iraniana do palco depois de uma foto de grupo com ministros das Relações Exteriores e representantes dos Estados Unidos, Irã, China, Rússia, Grã-Bretanha, Alemanha, França e União Europeia durante as conversações nucleares do Irã no Centro Internacional de Viena em Viena , Áustria (arquivo) - Sputnik Brasil
Irã: EUA não têm mais capacidade de colocar países sob pressão
"É necessário normalizar as relações com a Rússia. Agora é preciso imaginarmos uma nova organização supranacional que junte as três partes: Europa, Turquia e Rússia", disse Sarkozy à edição.

O ex-presidente francês se pronuncia a favor de intensificar o diálogo entre Moscou e Bruxelas e de uma maior integração da Rússia, achando que isso "fortaleceria a arquitetura do continente", pois países como a Ucrânia não precisariam de escolher entre a Rússia e o Ocidente.

Após o golpe ocorrido na Ucrânia e a reunificação da Crimeia à Rússia (através de referendo e de forma democrática), as relações entre o país eslavo e o Ocidente pioraram. Os EUA, junto com outros países, acusaram Moscou de intervenção nos assuntos internos ucranianos, o que foi repetidamente negado pela Rússia.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала